A adaptação nacional das unidades durante a pandemia
DATA
01/10/2021 09:08:43
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS

A adaptação nacional das unidades durante a pandemia

O vice-presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF), António Pereira, destaca no 38.º Encontro Nacional da (ENMGF) a capacidade de adaptação dos cuidados de saúde primários (CSP) para responder à COVID-19.

“Nesta sessão tivemos a visão nacional da Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS), com todos os novos sistemas informáticos que foram necessários criar ou adaptar para dar resposta a esta pandemia. Do ponto de vista regional também [saliento] todo o apoio que foi fornecido aos Agrupamentos de Centros de Saúde (ACES) e às equipas em termos de VPN”, afirma António Pereira, enaltecendo ainda “a forma como os ACES tiveram de se organizar em (…) ADR (Áreas Dedicadas aos Doentes Respiratórios), centros de vacinação e escalas de vários profissionais”.

Na mesma linha, o presidente do Conselho Diretivo da ARS Norte, Carlos Nunes, realça a necessidade de haver um plano de comunicação, logo no início da pandemia, de forma a responder a “uma situação [para] que não estávamos preparados”. O presidente sublinha, igualmente, que é fundamental aprender a funcionar em modo pandémico, assim como aprender a importância do espaço para a prestação de cuidados.

Também a diretora executiva do ACES Lisboa Norte, Eunice Carrapiço, acredita que “o que veio para ficar é a valorização do Serviço Nacional de Saúde, as consultas à distância e a necessidade de existência de um processo clínico eletrónico único”.

A terminar, Catarina Matias, da USF (Unidade de Saúde Familiar) Coimbra Centro, do ACES Baixo Mondego e da ARS Centro, garante que “somos marcados pela multidisciplinaridade”.

Governação Clínica
Editorial | Joana Romeira Torres
Governação Clínica

O Serviço Nacional de Saúde em Portugal foi criado e cresceu numa matriz de gestão napoleónica, baseada numa forte regulamentação, hierarquização e subordinação ao poder executivo, tendo como objeto leis e regulamentos para reger a atividade de serviços públicos no geral, existindo ausência de regulamentação relativa à sua articulação com os serviços sociais e económicos.

Mais lidas