×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 34880
Hospital de Cascais reforça reconhecimento internacional
DATA
07/10/2021 14:10:30
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Hospital de Cascais reforça reconhecimento internacional

O Hospital de Cascais concluiu a quarta auditoria internacional à qualidade e segurança dos seus processos e procedimentos, vendo assim renovado o selo de qualidade pela Joint Commission International (JCI), uma entidade certificadora de qualidade e segurança de instituições de saúde.

“É a quarta vez consecutiva que a equipa do Hospital de Cascais evidencia, junto de auditores internacionais, que a qualidade e a segurança dos seus doentes é um compromisso inequívoco de todos, que exige uma constante atualização e alinhamento com aquilo que são as melhores práticas mundiais na prestação de cuidados de saúde. Este reconhecimento é motivo de grande orgulho, não apenas para a equipa do Hospital de Cascais como de toda a Lusíadas Saúde”, frisa o CEO do Grupo Lusíadas Saúde, Vasco Antunes Pereira.

Este reconhecimento surge após uma auditoria, por parte de peritos internacionais, que aferiu a conformidade do Hospital com mais de 1200 requisitos relacionados com a segurança do doente, padrões clínicos e não clínicos, atendimento, gestão e organização.

“É com enorme satisfação e orgulho que recebemos esta reacreditação, fundamental para continuarmos a ter uma equipa alinhada com as melhores práticas mundiais na área da qualidade e segurança do doente, o que nos permite manter o reconhecimento como um hospital de excelência, (…) feito de pessoas para pessoas, onde o utente estará sempre em primeiro lugar”, finaliza o presidente do Conselho de Administração do Hospital de Cascais Dr. José de Almeida, José Bento e Silva.

 

Se os jovens Médicos de Família querem permanecer no SNS e se o SNS precisa deles, o que falta?
Editorial | António Luz Pereira
Se os jovens Médicos de Família querem permanecer no SNS e se o SNS precisa deles, o que falta?

Nestes últimos dias tem sido notícia o número de vagas que ficaram por preencher, o número de jovens Médicos de Família que não escolheram vaga e o número de utentes que vão permanecer sem médico de família. Há três grandes razões para isto acontecer e que carecem de correção urgente para conseguir cativar os jovens Médicos de Família.

Mais lidas