Saúde com mais 703 milhões de euros face a 2021
DATA
12/10/2021 10:24:11
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Saúde com mais 703 milhões de euros face a 2021

A proposta de Orçamento do Estado (OE) para 2022 prevê uma subida de cerca de 703 milhões de euros do montante global para o setor da Saúde, com uma dotação de despesa total consolidada de 13.578,1 milhões, comparativamente a 2021.

“O Programa Orçamental da Saúde evidencia, no OE de 2022, uma dotação de despesa total consolidada de 13.578,1 milhões de euros, o que excede em 7,8% a execução estimada até final de 2021, e uma despesa efetiva consolidada de 13.529,4 milhões de euros”, refere o documento entregue na Assembleia da República, conforme noticia a agência Lusa.

A receita total consolidada para 2022 cifra-se em 13.580,3 milhões de euros, segundo a proposta do Governo.

“Face ao orçamento inicial de 2021 financiado por receitas de impostos”, o OE de 2022 “aumenta 703,6 milhões de euros (6,7%)” o montante global para este setor, refere o documento.

No próximo ano, a Saúde tem um orçamento consolidado repartido em despesas com pessoal (38,5%) e aquisição de bens e serviços (52%). Neste último agrupamento são registadas as compras de medicamentos, os meios complementares de diagnóstico e terapêutica e as parcerias público-privadas.

Do orçamentado em despesas com pessoal, cerca de 97% está alocado às entidades do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Se os jovens Médicos de Família querem permanecer no SNS e se o SNS precisa deles, o que falta?
Editorial | António Luz Pereira
Se os jovens Médicos de Família querem permanecer no SNS e se o SNS precisa deles, o que falta?

Nestes últimos dias tem sido notícia o número de vagas que ficaram por preencher, o número de jovens Médicos de Família que não escolheram vaga e o número de utentes que vão permanecer sem médico de família. Há três grandes razões para isto acontecer e que carecem de correção urgente para conseguir cativar os jovens Médicos de Família.

Mais lidas