×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 34880
Quase metade dos universitários tem baixos níveis de literacia em saúde

Estudo conclui que mais de 40% dos estudantes universitários portugueses apresentam níveis inadequados ou problemáticos de literacia em saúde, um défice de conhecimento que é agravado pelas condições económicas das famílias.

O estudo “Literacia em Saúde no Ensino Superior: Desafios em Portugal” foi promovido pela Escola Nacional de Saúde Pública da Universidade NOVA de Lisboa (ENSP-NOVA), com o apoio da Lilly Portugal.

“Numa sociedade em que a disponibilização de informação de saúde é uma constante, e na qual se pretende que as pessoas, cada vez mais, tenham um papel ativo na promoção e gestão da sua saúde, que tomem decisões, importa aferir se efetivamente estão preparadas para o fazer. Especialmente estes jovens adultos, com um papel social determinante”, refere a coordenadora do estudo e investigadora da ENSP-NOVA, Ana Rita Pedro, em comunicado enviado.

A investigação demonstrou que existem assimetrias na população universitária, com os estudantes com menores rendimentos e com pais com escolaridade mais baixa (até ao 3.º ciclo) a reportarem níveis inadequados de literacia em saúde.

O estudo revela ainda que a literacia em saúde é tendencialmente mais elevada entre os alunos de cursos de maior grau — pós-graduação, mestrado e doutoramento. Além disso, quando analisados os determinantes de âmbito académico, os alunos dos cursos relacionados com outras áreas apresentam níveis de literacia mais preocupantes, que se mantêm ao longo da sua formação.

Os dados foram recolhidos por questionário online, entre dezembro de 2020 e abril de 2021. A amostra do estudo é constituída por 4801 respondentes (76% do género feminino e 24% do género masculino), com uma abrangência nacional.

Governação Clínica
Editorial | Joana Romeira Torres
Governação Clínica

O Serviço Nacional de Saúde em Portugal foi criado e cresceu numa matriz de gestão napoleónica, baseada numa forte regulamentação, hierarquização e subordinação ao poder executivo, tendo como objeto leis e regulamentos para reger a atividade de serviços públicos no geral, existindo ausência de regulamentação relativa à sua articulação com os serviços sociais e económicos.

Mais lidas