Especialistas defendem vacinação de idosos contra várias doenças
DATA
28/10/2021 12:07:09
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Especialistas defendem vacinação de idosos contra várias doenças

A Sociedade Portuguesa de Geriatria e Gerontologia (SPGG) defendeu a vacinação dos idosos contra a COVID-19, gripe, pneumonia, tosse convulsa e herpes-Zoster, para reforçar o sistema imunitário no combate a estas doenças que podem ser fatais em idades avançadas.

 

Assinalando o Dia Mundial do Idoso, a SPGG produziu um conjunto de recomendações para o envelhecimento saudável. Desde logo a vacinação “porque, de facto, é extremamente importante tanto nas pessoas idosas como nas crianças”, disse o presidente da SPGG, Manuel Carrageta, à agência Lusa.

“A vacinação é um dos maiores sucessos da história da Medicina, tendo salvado mais vidas, talvez nos últimos 50 anos, do que qualquer outra intervenção médica”, frisou, salientando que a pandemia veio mostrar como “as vacinas são tão importantes e eficazes”, designadamente junto deste universo etário.

O especialista enfatizou que, tanto na gripe como na COVID-19, “mais de 90% das mortes” cuja idade supera os 60 anos. “É nesta população que temos de ser mais assertivos no sentido da vacinação”, defendeu, relevando também a importância da vacina contra a pneumonia, “uma causa importantíssima de morte nas pessoas mais idosas”.

No que diz respeito à vacinação da gripe, a Sociedade aconselha a administração da vacina quadrivalente, de preferência com dose reforçada, todos os outonos – idealmente entre novembro e a primeira quinzena de dezembro –, mas no máximo antes do início da primavera.

Destaca ainda a importância da vacina contra a Herpes zoster, referente à doença conhecida como “cobrão” ou “zona”, que é menos conhecida e que se manifesta por dor intensa e erupção vesicular unilateral, geralmente no tórax.

“Esta infeção complica-se muitas vezes com dor persistente e difícil de tratar, podendo causar sofrimento de tal ordem que, em alguns casos, pode até levar ao suicídio. Associa-se também a um aumento do risco de cegueira por herpes ocular, acidente vascular cerebral, parestesias e paralisias nervosas, incluindo a síndrome de Guillain-Barré”, esclarece a SPGG.

Por fim, salienta-se a importância da administração da vacina para a tosse convulsa, doença suscetível de ser bastante grave nos idosos. “Esta vacina pode ser administrada em conjunto com as vacinas do tétano e da difteria, que devem ser administradas de 10 em 10 anos”, explicou o presidente da SPGG, que tem como objetivo contribuir para melhorar o bem-estar e a saúde das pessoas mais idosas.

Governação Clínica
Editorial | Joana Romeira Torres
Governação Clínica

O Serviço Nacional de Saúde em Portugal foi criado e cresceu numa matriz de gestão napoleónica, baseada numa forte regulamentação, hierarquização e subordinação ao poder executivo, tendo como objeto leis e regulamentos para reger a atividade de serviços públicos no geral, existindo ausência de regulamentação relativa à sua articulação com os serviços sociais e económicos.

Mais lidas