COVID-19: Dose de reforço deve ser com vacinas da Moderna e Pfizer
DATA
04/11/2021 14:31:21
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



COVID-19: Dose de reforço deve ser com vacinas da Moderna e Pfizer

A dose de reforço da vacina contra a COVID-19 deve ser realizada com as vacinas da Moderna (Spikevax) ou da Pfizer (Comirnaty), pelo menos seis meses após o esquema vacinal, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

De acordo com a norma atualizada da DGS, esta recomendação é idêntica seja qual for a vacina que a pessoa tomou, mas “não é aplicável às pessoas que recuperaram de infeção por SARS-CoV-2”.

A norma explica que a dose de reforço está recomendada para os residentes e utentes de lares, instituições similares e da rede de cuidados continuados integrados, pessoas com 80 ou mais anos de idade e pessoas com 65 ou mais anos.

A DGS lembra que “se o esquema vacinal primário tiver sido realizado com uma vacina de mRNA, a dose de reforço deverá ser da mesma marca”. As vacinas da Pfizer e da Moderna são de RNA mensageiro (mRNA) que codifica para a proteína S (“spike”) do vírus SARS-CoV-2.

A DGS sublinha que o plano de vacinação contra a COVID-19 “assenta em valores de universalidade, gratuitidade, aceitabilidade e exequibilidade”.

Mulher, autonomia e indicadores – uma história de retrocesso?
Editorial | Jornal Médico
Mulher, autonomia e indicadores – uma história de retrocesso?

O regime remuneratório das USF modelo B há muito que é tema para as mais diversas discussões, parecendo ser unânime a opinião de que necessita de uma revisão, inexistente de forma séria desde a sua implementação.