COVID-19: Número de diabéticos tratados diminuiu, mas custos de tratamento aumentaram
DATA
24/11/2021 12:44:07
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



COVID-19: Número de diabéticos tratados diminuiu, mas custos de tratamento aumentaram

O número de diabéticos tratados nos hospitais diminuiu devido à pandemia da COVID-19, mas os custos com o seu tratamento aumentaram, tal como a mortalidade, conclui um estudo hoje divulgado.

O estudo feito por uma consultora para a Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares, analisou o impacto da COVID-19 na gestão da diabetes nos hospitais do Serviço Nacional da Saúde, comparando dados da Administração Central do Sistema de Saúde de 2019 e 2020.

Apesar do decréscimo de doentes tratados, o peso relativo dos diabéticos na atividade hospitalar aumentou, contudo, cerca de 5% no internamento e 18,2% no ambulatório entre 2019 e 2020.

"A súbita falha na resposta dos serviços poderá ter tido uma repercussão mais negativa em doentes diabéticos, provocando descompensações que motivaram a procura hospitalar", assinala a consultora IASIST, que realizou o estudo no âmbito da iniciativa "Um PRR [Plano de Recuperação e Resiliência] para a Diabetes - a Oportunidade é Agora", promovida pela Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares.

Dada a complexidade dos casos, o custo médio de um doente diabético tratado num hospital aumentou de 2.900 euros em 2019 para 3.327 euros em 2020, tendo o tempo médio de internamento por doente subido 2,5%.

Governação Clínica
Editorial | Joana Romeira Torres
Governação Clínica

O Serviço Nacional de Saúde em Portugal foi criado e cresceu numa matriz de gestão napoleónica, baseada numa forte regulamentação, hierarquização e subordinação ao poder executivo, tendo como objeto leis e regulamentos para reger a atividade de serviços públicos no geral, existindo ausência de regulamentação relativa à sua articulação com os serviços sociais e económicos.

Mais lidas