CHUC realizam primeira cirurgia cardíaca por vídeo-toracoscopia
DATA
29/12/2021 14:29:34
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



CHUC realizam primeira cirurgia cardíaca por vídeo-toracoscopia

O Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) realizou a primeira cirurgia cardíaca minimamente invasiva por vídeo-toracoscopia para resolução da patologia valvular e defeito septal congénito.

“Trata-se de um procedimento inovador, ainda pouco realizado a nível nacional e no estrangeiro”, salienta a unidade hospitalar, em comunicado, referindo que a intervenção foi efetuada pelo Serviço de Cirurgia Cardiotorácica e Transplantação de Órgãos Torácicos (CCTOT). 

Para o diretor do CCTOT, David Prieto, “o procedimento cirúrgico realizado vem de encontro a um dos objetivos da direção do serviço: apostar em procedimentos minimamente invasivos com vantagens funcionais e estéticas óbvias para o doente, menos tempo de internamento e de recuperação, entre outros”.

Acrescentou que outros procedimentos “minimamente invasivos já fazem parte da atividade cirúrgica rotineira do Serviço, contudo esta destaca-se das anteriores por ser um procedimento vídeo-toracoscópico”.

“A cirurgia é realizada com auxílio de uma câmara de vídeo e instrumentos adequados que permitem operar o coração através dos espaços entre as costelas, em vez da clássica abordagem através do esterno”, esclarece. 

A equipa cirúrgica envolvida nesta intervenção foi constituída pelos especialistas Gonçalo Coutinho, Filipe Soares e Pedro Correia e pela enfermeira Carla Pinheiro, que colocaram em prática o conhecimento adquirido após formação num centro europeu.

Preparados para o Futuro? // Preparar o Futuro
Editorial | Conceição Outeirinho
Preparados para o Futuro? // Preparar o Futuro

O início da segunda década deste século, foram anos de testagem. Prova intensa, e avassaladora aos serviços de saúde e aos seus profissionais, determinada pelo contexto pandémico. As fragilidades do sistema de saúde revelaram-se de modo mais acentuado, mas por outro lado, deu a conhecer o nível de capacidade de resposta, nomeadamente dos seus profissionais.