SRCOM alerta para Unidades de Saúde Pública à beira do colapso
DATA
10/01/2022 17:31:09
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



SRCOM alerta para Unidades de Saúde Pública à beira do colapso

A Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM) disse que está a receber declarações de exclusão de responsabilidade e alertou para as Unidades de Saúde Pública à beira do colapso.

Em nota enviada à agência Lusa, a SRCOM frisou continuar a expressar “preocupação” com o número excessivo de tarefas e horas de trabalho pelos médicos em Saúde Pública e deixou nota para a “escassez de recursos disponíveis” para os casos diários de infeção por COVID-19 e tarefas descontextualizadas neste período pandémico.

De acordo com a mesma entidade, na terça e na quarta-feira, os médicos de Saúde Pública receberam 824 novos processos para inquérito epidemiológico. No final do dia de quarta-feira, aguardavam o “primeiro contacto mais de 600 pessoas” que testaram positivo à COVID-19.

“Os médicos de Saúde Pública estão no limite. É urgente uma intervenção por parte da Administração Regional de Saúde do Centro e do Ministério da Saúde”, adiantou o presidente da SRCOM, Carlos Cortes, citado no mesmo comunicado.

“Se somarmos a todas as dificuldades de quem vive e trabalha em permanente estado de emergência devido à COVID-19 (ao efetuar centenas de horas suplementares, sem direito a tolerâncias de ponto e sem efetivo descanso semanal) é preciso lembrar que os médicos de saúde pública continuam a dar resposta a outras patologias, tais como os casos de doença invasiva pneumocócica, salmoneloses, hepatites, tuberculose, doença dos legionários, etc”, acrescentou.

Relevou ainda que “é incompreensível como o Ministério da Saúde tenha abandonado, desta forma, estes colegas médicos que continuam a fazer um trabalho inexcedível. Muitos dos novos casos estão a ser contactados com dias de atraso e muitos outros nunca chegarão a receber um contacto da autoridade de saúde”.

Carlos Cortes finalizou referindo que o trabalho que está a ser exigido, “além de desumano”, não acrescenta uma “mais-valia para combater esta pandemia”.

#sejamestrelas
Editorial | António Luz Pereira
#sejamestrelas

Ciclicamente as capas dos jornais são preenchidas com o número de novos médicos. Por instantes todos prestam atenção aos números. Sim, para muitos são apenas números. Para nós, são colegas que se decidiram pelo compromisso com os utentes nas mais diversas áreas. Por isso, queremos deixar a todos, mas especialmente aqueles que abraçaram este ano a melhor especialidade do Mundo uma mensagem: “Sejam Estrelas”.

Mais lidas