Hospital Fernando Fonseca e Centro de Simulação CUF estabelecem parceria
DATA
09/02/2022 14:48:34
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Hospital Fernando Fonseca e Centro de Simulação CUF estabelecem parceria

Com o objetivo de promover ações de formação baseadas em simulação com “elevado nível de diferenciação”, o Centro de Simulação da CUF Academic Center e o Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca (HFF) estabeleceram um protocolo para organização de programas de formação específica e diferenciada pós-graduadas, com recurso a simulador de Broncofibroscopia, destinado a internos de Medicina Intensiva.

“Este protocolo, celebrado com base no interesse recíproco das duas instituições em desenvolver ações que contribuam para a partilha de conhecimento e ações de formação de medicina intensiva, prevê a realização regular de formações teórico-práticas base, com recurso a equipamentos de simulação de elevada componente tecnológica, com complemento de formação em Ginásio de Simulação”, adiantou o diretor do Serviço de Medicina Intensiva do HFF, Paulo Freitas.

Frisou ainda que com esta parceria, podem proporcionar aos “internos de Medicina Intensiva formação específica em Broncofibroscopia, o que será certamente uma mais valia para uma resposta mais eficiente às necessidades específicas da nossa população”.

O modelo pedagógico do Centro de Simulação da CUF Academic Center, localizado no Hospital CUF Tejo, assenta numa “vertente inovadora” que permite aos profissionais de saúde realizar horas de treino suplementar, baseadas em simulação, e “com vista a alcançar proficiência e segurança na execução de técnicas e procedimentos específicos”, esclareceu o diretor clínico do Centro de Simulação CUF Academic Center.

Este modelo permite “uma curva de aprendizagem progressiva até obtenção de proficiência técnica em Broncofibroscopia, com recurso a equipamentos que para além de possuírem elevada componente tecnológica simulam cenários reais de uma Unidade de Cuidados Intensivos”, acrescentou.

As ações de formação, a decorrer no âmbito deste protocolo, irão iniciar durante o mês de março, estando previstas um total de cinco ações até ao final do corrente ano.

Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?
Editorial | Denise Cunha Velho
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?

Sou do tempo em que, na Zona Centro, não se conhecia a grelha de avaliação curricular, do exame final da especialidade. Cada Interno fazia o melhor que sabia e podia, com os conselhos dos seus orientadores e de internos de anos anteriores. Tive a sorte de ter uma orientadora muito dinâmica e que me deu espaço para desenvolver projectos e actividades que me mantiveram motivada, mas o verdadeiro foco sempre foi o de aprender a comunicar o melhor possível com as pessoas que nos procuram e a abordar correctamente os seus problemas. Se me perguntarem se gostaria de ter sabido melhor o que se esperava que fizesse durante os meus três anos de especialidade, responderei afirmativamente, contudo acho que temos vindo a caminhar para o outro extremo.