Abertas as candidaturas ao Prémio Maria de Sousa
DATA
02/03/2022 10:44:18
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Abertas as candidaturas ao Prémio Maria de Sousa

As candidaturas à segunda edição do Prémio Maria de Sousa estão abertas até final maio.  Destinado a jovens em projetos de investigação na área das ciências da saúde, o prémio será atribuído a cinco vencedores pela Ordem dos Médicos (OM) e a Fundação Bial, em homenagem à imunologista portuguesa.

Os candidatos devem ser residentes em Portugal, ou no estrangeiro, ter menos de 35 anos e estarem envolvidos em projetos de investigação na área das ciências da saúde, incluindo um estágio num centro internacional de excelência. Só são validadas candidaturas individuais que sejam feitas até dia 31 de maio, inclusive.

O prémio, no valor de 150 mil euros – um aumento de 25 mil euros face à primeira edição –, será distribuído por cinco vencedores.

O painel de jurados liderado pelo neurocientista Rui Costa, , é composto pelas seguintes personalidade:  Maria do Carmo Fonseca, presidente do Instituto de Medicina Molecular João Lobo Antunes (iMM); Graça Porto, diretora do grupo de investigação sobre a biologia do ferro do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S) da Universidade do Porto; Miguel Castelo-Branco, diretor do Centro de Imagem Biomédica e Investigação Translacional (CIBIT) da Universidade de Coimbra; e Joana Palha, professora catedrática da Escola de Medicina da Universidade do Minho.

O referido prémio foi lançado em 2020, em homenagem à imunologista e investigadora portuguesa, Maria de Sousa, falecida nesse ano por não ter resistido à COVID-19.

 “Este Prémio continua a obra da cientista Maria de Sousa na construção de uma escola sem fronteiras, uma escola de novos cientistas portugueses ligados ao resto do mundo e que serão o alicerce de uma sociedade onde o conhecimento cria valor e muda a forma como vivemos”, afirma Rui Costa.

E como explica Miguel Guimarães, Bastonário da OE, a motivação do prémio, com este “pretendemos celebrar a vida e carreira de uma grande mestre que se distinguiu pela qualidade científica e técnica, aliando a investigação ao humanismo, o conhecimento ao ensino e formação. O talento da Professora Maria de Sousa foi responsável pela evolução da ciência e por dignificar o nome de Portugal a nível internacional.”

Por sua vez, Luís Portela, presidente da Fundação BIAL, recorda que “na primeira edição recebemos mais de 80 candidaturas; esperamos continuar com elevada adesão e apoiar jovens cientistas de grande qualidade a desenvolverem a sua carreira e a ganharem mundo”.

Os interessados poderão encontrar mais informação e acesso ao formulário de candidatura aqui.

Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?
Editorial | Denise Cunha Velho
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?

Sou do tempo em que, na Zona Centro, não se conhecia a grelha de avaliação curricular, do exame final da especialidade. Cada Interno fazia o melhor que sabia e podia, com os conselhos dos seus orientadores e de internos de anos anteriores. Tive a sorte de ter uma orientadora muito dinâmica e que me deu espaço para desenvolver projectos e actividades que me mantiveram motivada, mas o verdadeiro foco sempre foi o de aprender a comunicar o melhor possível com as pessoas que nos procuram e a abordar correctamente os seus problemas. Se me perguntarem se gostaria de ter sabido melhor o que se esperava que fizesse durante os meus três anos de especialidade, responderei afirmativamente, contudo acho que temos vindo a caminhar para o outro extremo.