APCL, SPH e Gilead atribuem bolsa a projeto de investigação na área da leucemia e dos linfomas
DATA
02/03/2022 16:58:50
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



APCL, SPH e Gilead atribuem bolsa a projeto de investigação na área da leucemia e dos linfomas

A 4.ª edição da bolsa “Building Future Knowledge in mature B cell malignacies” abriu candidaturas até ao dia 31 de maio de 2022, com o prémio no valor de 15 mil euros para o projeto de investigação mais promissor. A bolsa tem como objetivo promover a investigação científica e epidemiológica nas áreas das neoplasias de células B maduras e é uma iniciativa da Associação Portuguesa Contra a Leucemia (APCL), em parceria com a Sociedade Portuguesa de Hematologia (SPH) e conta com o apoio da Gilead Sciences.

“É com grande satisfação que nos voltamos a juntar à APCL e à Gilead para estes projetos. Pela 4.ª vez, pretendemos encorajar a comunidade científica na investigação das doenças hemato-oncológicas malignas, porque acreditamos que a participação nestes projetos é uma mais-valia para o avanço da medicina”, adiantou o presidente da SPH, João Raposo.

Todos os investigadores, nacionais ou estrangeiros, que estejam a desenvolver projetos em instituições portuguesas na área de investigação científica e/ou epidemiológica em neoplasias B de células maduras, podem candidatar-se à bolsa de investigação. “São valorizados projetos de carácter interdisciplinar e de colaboração entre instituições, com foco no estudo das áreas de tratamento, diagnóstico, epidemiologia, qualidade de vida dos doentes e impacto a nível sociológico”, pode ler-se em comunicado.

Para Manuel Abecasis, presidente da APCL, “a hemato-oncologia é das áreas oncológicas com maior taxa de sucesso de cura definitiva, para continuarmos a manter esses números é necessário continuar o estudo e investigação. Os estímulos à investigação científica em Portugal continuam a ser uma prioridade para a APCL, até porque essa é também uma forma de apoiar os nossos doentes, uma vez que é assim que se trilham os caminhos de descoberta de novos medicamentos”.

“A missão da Gilead é contribuir para um mundo com mais saúde para todos. Apoiar bolsas de investigação como esta, é um meio para atingir esse nosso objetivo. Acreditamos no valor da investigação científica desenvolvida em Portugal e temos grande expectativa relativamente aos trabalhos que serão apresentados nesta edição”, esclareceu o diretor geral da Gilead Sciences Portugal, Vítor Papão.

Para mais informações pode consultar o regulamento no site da APCL.

Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?
Editorial | Denise Cunha Velho
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?

Sou do tempo em que, na Zona Centro, não se conhecia a grelha de avaliação curricular, do exame final da especialidade. Cada Interno fazia o melhor que sabia e podia, com os conselhos dos seus orientadores e de internos de anos anteriores. Tive a sorte de ter uma orientadora muito dinâmica e que me deu espaço para desenvolver projectos e actividades que me mantiveram motivada, mas o verdadeiro foco sempre foi o de aprender a comunicar o melhor possível com as pessoas que nos procuram e a abordar correctamente os seus problemas. Se me perguntarem se gostaria de ter sabido melhor o que se esperava que fizesse durante os meus três anos de especialidade, responderei afirmativamente, contudo acho que temos vindo a caminhar para o outro extremo.