CHUSJ avança com estudo do sono realizado no domicílio
DATA
22/03/2022 14:25:42
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



CHUSJ avança com estudo do sono realizado no domicílio

Os doentes do Centro Hospitalar Universitário de São João (CHUSJ) já podem realizar os estudos sobre o sono no domicílio, graças à implementação em regime ambulatório da polissonografia.

Esta técnica para diagnóstico de patologias do sono permite resultados mais fiáveis, uma diminuição da lista de espera e um maior conforto para o doente, de acordo com Marta Drummond, pneumologista do CHUSJ.

Ao efetuar o estudo em casa, o doente só tem de se deslocar ao hospital no dia do procedimento para colocar os sensores no corpo, nomeadamente sensores respiratórios, cardíacos, saturação de oxigénio e de eletroencefalograma. Uma vez em casa, um técnico dá instruções e monitoriza o processo através de uma tecnologia remota, seja por áudio ou vídeo.

“O técnico vai, em tempo-real, interagindo com o doente” e “durante a noite é possível captar o registo dos sensores, mas também imagem que ajuda em situações de sonambulismo, agressividade ou falar durante o sono”, afirma Marta Drummond.

Sendo o estudo agora efetuado no domicílio, o tempo médio de espera para a primeira consulta de Patologia Respiratória do Sono no CHUSJ, reduziu “de forma drástica”, de acordo com a pneumologista, que é agora de 56 dias.

Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?
Editorial | Denise Cunha Velho
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?

Sou do tempo em que, na Zona Centro, não se conhecia a grelha de avaliação curricular, do exame final da especialidade. Cada Interno fazia o melhor que sabia e podia, com os conselhos dos seus orientadores e de internos de anos anteriores. Tive a sorte de ter uma orientadora muito dinâmica e que me deu espaço para desenvolver projectos e actividades que me mantiveram motivada, mas o verdadeiro foco sempre foi o de aprender a comunicar o melhor possível com as pessoas que nos procuram e a abordar correctamente os seus problemas. Se me perguntarem se gostaria de ter sabido melhor o que se esperava que fizesse durante os meus três anos de especialidade, responderei afirmativamente, contudo acho que temos vindo a caminhar para o outro extremo.