Comissão de Trabalho de Tuberculose da SPP preocupada com o aumento de mortes por tuberculose
DATA
25/03/2022 11:18:21
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Comissão de Trabalho de Tuberculose da SPP preocupada com o aumento de mortes por tuberculose

Um novo relatório do Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças e da Organização Mundial da Saúde conclui que, após 20 anos, as mortes por tuberculose aumentaram, tornando-se na segunda doença infeciosa mais mortífera, a seguir à COVID-19 - 0.8 mortes por 100 mil pessoas.

Em Portugal, de acordo com os dados relativos ao ano 2020 do relatório de vigilância e monitorização da tuberculose da DGS, também se verificou um incremento da mortalidade: 8% (94 casos); no ano 2019 este valor foi de 7%.

Embora a Comissão de Trabalho de Tuberculose da SPP considere estes dados preocupantes, também reflete sobre o “atraso no diagnóstico, motivado, em grande parte, pela demora na procura de cuidados de saúde pelos utentes durante a pandemia e pela maior dificuldade no acesso aos mesmos (…)”.

Ainda assim, a tuberculose continua a afetar e causar situações de óbito nos doentes mais vulneráveis “com múltiplas comorbilidades (DPOC, diabetes, neoplasia, VIH, entre outras) e extremos das faixas etárias, que apresentam maior risco de doença grave”, lê-se em comunicado.

Em nota de comunicado, a Comissão de Trabalho de Tuberculose da SPP reforça ainda que é necessário reduzir “o atraso do diagnóstico de tuberculose em Portugal [que corresponde atualmente nos 80 dias], pois condiciona não só formas de apresentação da doença mais graves na altura do diagnóstico e, portanto, com mais sequelas, como uma maior disseminação da doença na comunidade”.

As certezas enganadoras sobre os Outros
Editorial | Mário Santos
As certezas enganadoras sobre os Outros

No processo de reflexão da minha prática clínica, levo em conta para além do meu índice de desempenho geral (IDG) e da satisfação dos meus pacientes, a opinião dos Outros. Não deixo, por isso, de ler as entrevistas cujos destaques despertam em mim o interesse sobre o que pensam e o que esperam das minhas funções, como médico de família. Selecionei alguns títulos divulgados pelo Jornal Médico, que mereceram a minha atenção no último ano: