5.ªs Atualizações em Cancro do Pulmão da CUF: “Um programa objetivo, claro e dedicado numa área em desenvolvimento”
DATA
12/05/2022 14:12:44
AUTOR
Jornal Médico
5.ªs Atualizações em Cancro do Pulmão da CUF: “Um programa objetivo, claro e dedicado numa área em desenvolvimento”

“As 5.as Atualizações em Cancro do Pulmão da CUF dirigem-se a todos os profissionais que trabalham na área do cancro do pulmão, desde a investigação, ao diagnóstico e à terapêutica.” As palavras são de Bárbara Parente, membro da Comissão Organizadora do evento, que irá decorrer no dia 27 de maio na cidade do Porto, na Porto Business School. Veja a entrevista em vídeo.

Bárbara Parente, em conversa com o Jornal Médico, começa por afirmar que as 5.ªs Atualizações em Cancro do Pulmão da CUF são “transversais” a todos os profissionais de saúde “oncologistas, pneumologistas, radioterapeutas, imagiologistas” e ainda “a todos os técnicos que trabalham na área”.

Relativamente aos temas, a especialista reitera que só serão abordadas “as atualizações” em cancro do pulmão, explicando que “o programa não é muito extenso uma vez que a ideia é que seja objetivo, claro e dedicado.” Neste sentido, os temas discutidos estarão “organizados em mesas-redondas e em conferências” e “vão desde os diagnósticos precoces até às terapêuticas inovadoras”, e ainda “um tema caro ao mundo que é o rastreio do cancro do pulmão.”

“Esta neoplasia tem sido um dos tumores que mais novidades tem trazido nos últimos anos”, salienta Bárbara Parente, acrescentando que o desejo é “diagnosticar de forma precoce”. No entanto, a realidade é que o cancro do pulmão diagnosticado em fase avançada “continua a representar cerca de 70 % dos doentes em consulta.”

“Os oncologistas portugueses são muito dedicados ao doente, estão bem preparados e com um sentido de responsabilidade muito grande”. Atualmente, “a transversalidade mundial é tão lata que o profissional de saúde tem conhecimento e acesso às terapêuticas disponíveis”, afirma a especialista.

As Atualizações foram “planeadas desde o primeiro dia para serem feitas a nível nacional transversais a todos clínicos”, portanto Bárbara Parente afirma que a CUF é “um exemplo de organização e união”, trabalhando “todos na mesma direção e com os mesmos objetivos” para tratar “o melhor possível o doente.”

Em nota final, Bárbara Parente realça que o acolhimento do doente “é a porta de entrada mais importante em qualquer Serviço de Oncologia”, acrescentando que as Vias Verdes de Diagnóstico Oncológico da CUF  “possibilitam, num curto espaço de tempo, orientar e tratar o doente”, conclui.

Preparados para o Futuro? // Preparar o Futuro
Editorial | Conceição Outeirinho
Preparados para o Futuro? // Preparar o Futuro

O início da segunda década deste século, foram anos de testagem. Prova intensa, e avassaladora aos serviços de saúde e aos seus profissionais, determinada pelo contexto pandémico. As fragilidades do sistema de saúde revelaram-se de modo mais acentuado, mas por outro lado, deu a conhecer o nível de capacidade de resposta, nomeadamente dos seus profissionais.