Programa Fertilidade +: 2.ª edição focada no diagnóstico ao tratamento da infertilidade
DATA
14/06/2022 09:57:26
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS

Programa Fertilidade +: 2.ª edição focada no diagnóstico ao tratamento da infertilidade

São quatro sessões destinadas a auxiliar os profissionais de saúde não especializados na área da fertilidade a identificar e aconselhar casais e indivíduos inférteis, facilitando a sua referenciação para um especialista em procriação medicamente assistida (PMA). É este o programa da 2.ª edição do Programa Fertilidade +, que acontece este mês.

Promovidas pela a Organon Portugal, estas sessões virtuais são desenvolvidas em colaboração com os Centros de PMA AVA Clinica, Clinimer, Ginemed e Procriar. Concretizam-se nos dias 21, 23, 28 e 30 de junho, com início às 21h00. Terão ainda o contributo de cinco especialistas nacionais que abordarão a infertilidade, do diagnóstico ao tratamento.

O primeiro webinar, no dia 21, é dedicado ao tema “As causas e o diagnóstico da infertilidade”, orientado por José Cunha, médico especialista em Ginecologia e Obstetrícia, sub-especialista em Medicina da Reprodução.

O segundo webinar, no dia 23, vai abordar os tratamentos existentes de PMA e fica a cargo de Margarida Silvestre, médica especialista em Ginecologia e Obstetrícia, vice-presidente da Sociedade Portuguesa de Medicina da Reprodução (SPMR).

Já no dia 28, os participantes vão poder ouvir as médicas especialistas em Ginecologia e Obstetrícia e sub-especialistas em Medicina da Reprodução, Ana Paula Soares e Cátia Rodrigues, sobre o tema “A idade ovárica e a preservação da fertilidade”.

O ciclo de webinars termina no dia 30, com uma sessão dedicada à doação de óvulos, dirigida por Joana Mesquita Guimarães, médica especialista em Ginecologia e Obstetrícia e sub-especialista em Medicina da Reprodução, vogal da SPMR.

Os profissionais de saúde interessados podem fazer a inscrição aqui.

As certezas enganadoras sobre os Outros
Editorial | Mário Santos
As certezas enganadoras sobre os Outros

No processo de reflexão da minha prática clínica, levo em conta para além do meu índice de desempenho geral (IDG) e da satisfação dos meus pacientes, a opinião dos Outros. Não deixo, por isso, de ler as entrevistas cujos destaques despertam em mim o interesse sobre o que pensam e o que esperam das minhas funções, como médico de família. Selecionei alguns títulos divulgados pelo Jornal Médico, que mereceram a minha atenção no último ano: