Ordem dos Médicos aponta para a  falta de especialistas em várias áreas durante o verão
DATA
20/06/2022 11:05:53
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS

Ordem dos Médicos aponta para a falta de especialistas em várias áreas durante o verão

O presidente do Conselho Regional do Sul da Ordem dos Médicos encara o verão como uma época problemática, pois considera que “as carências não estão apenas na obstetrícia''. Nos próximos meses poderão não existir “ortopedistas, anestesistas, pediatras”, entre outros, conduzindo o SNS a uma situação de rutura.

“Não me parece haver na próxima semana tantos hospitais, ao mesmo tempo com tantos serviços em risco de rutura, agora teremos julho e agosto, para a frente (…) e era importante perceber como é que vai ser o verão, em toda as especialidades e não apenas nesta”, afirmou Alexandre Valentim Lourenço, numa visita ao Serviço de Urgência de Obstetrícia.

Apelando a “mudanças estruturais", o presidente acrescenta ainda que para garantir a fixação dos médicos é preciso existir uma “boa retribuição” para os profissionais e assegurar que podem ser “felizes a trabalhar”.

Alexandre Lourenço também alerta para o facto de “as empresas de tarefeiros que contrataram médicos já reformados (...) ou que se voluntariaram, pelos valores de empresas tarefeiros para substituir e manter este sistema aberto” são como “um penso rápido, um remendo que impede as mudanças estruturais”.

A comissão de acompanhamento criada em resposta à crise nos serviços de urgência de obstetrícia e ginecologia já tem reunião marcada com a ministra da Saúde e com as administrações regionais de saúde (ARS).

A“prioridade” da comissão “é arranjar soluções para o verão”, mas ao mesmo tempo e já que está a lidar com “estes problemas agudos” terá também de começar “a pegar nos problemas mais estruturais e tentar alterações aí, porque senão está apenas a reagir e não a planear”.

Mulher, autonomia e indicadores – uma história de retrocesso?
Editorial | Jornal Médico
Mulher, autonomia e indicadores – uma história de retrocesso?

O regime remuneratório das USF modelo B há muito que é tema para as mais diversas discussões, parecendo ser unânime a opinião de que necessita de uma revisão, inexistente de forma séria desde a sua implementação.