Candidaturas à bolsa “Building Future Knowledge in mature B cell malignacies” terminam a 30 de junho
DATA
27/06/2022 09:30:16
AUTOR
Jornal Médico
Candidaturas à bolsa “Building Future Knowledge in mature B cell malignacies” terminam a 30 de junho

A 4.ª edição da bolsa “Building Future Knowledge in mature B cell malignacies”, que visa promover a investigação científica e epidemiológica nas áreas das neoplasias de células B maduras, aceita candidaturas até dia 30 de junho. O projeto de investigação mais promissor recebe um prémio de 15 mil euros.

Esta é uma iniciativa da Associação Portuguesa Contra a Leucemia (APCL), em parceria com a Sociedade Portuguesa de Hematologia (SPH) e com o apoio da biofarmacêutica Gilead Sciences.

A bolsa é destinada a todos os investigadores, nacionais ou estrangeiros, que estejam a desenvolver projetos em instituições portuguesas na área de investigação científica e/ou epidemiológica em neoplasias B de células maduras podem candidatar-se à bolsa. S

“Projetos de carácter interdisciplinar e de colaboração entre instituições, com foco no estudo das áreas de tratamento, diagnóstico, epidemiologia, qualidade de vida dos doentes e impacto a nível sociológico” serão valorizados pelo painel.


As candidaturas devem ser enviadas para o email Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. no limite até 30 de junho. Para saber mais consulte o regulamento no site da APCL, aqui.

Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?
Editorial | Denise Cunha Velho
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?

Sou do tempo em que, na Zona Centro, não se conhecia a grelha de avaliação curricular, do exame final da especialidade. Cada Interno fazia o melhor que sabia e podia, com os conselhos dos seus orientadores e de internos de anos anteriores. Tive a sorte de ter uma orientadora muito dinâmica e que me deu espaço para desenvolver projectos e actividades que me mantiveram motivada, mas o verdadeiro foco sempre foi o de aprender a comunicar o melhor possível com as pessoas que nos procuram e a abordar correctamente os seus problemas. Se me perguntarem se gostaria de ter sabido melhor o que se esperava que fizesse durante os meus três anos de especialidade, responderei afirmativamente, contudo acho que temos vindo a caminhar para o outro extremo.