Opções farmacológicas para tratamento inicial e seguimento em “Atualização e Formação em DPOC”
DATA
29/06/2022 09:24:09
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS

Opções farmacológicas para tratamento inicial e seguimento em “Atualização e Formação em DPOC”

Para abordar soluções terapêuticas no tratamento da Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC), que tem o uso de broncodilatadores como tratamento inicial, a dupla composta por Ana Sofia Oliveira e Miguel Guimarães detalha as recomendações para o perfil de cada doente. Este é o quinto módulo da plataforma de e-learning do Jornal Médico. Assista ao módulo-vídeo.

 “Guidelines e estado da arte da terapêutica farmacológica da DPOC” é o tópico da apresentação feita em conjunto pela pneumologista do Hospital Pulido Valente, em Lisboa, e pelo responsável do laboratório de Função Respiratória no Centro Hospitalar de Gaia, 

Recapitulando o papel da espirometria, que “permite confirmar o diagnóstico de DPOC, através da presença de obstrução, definida por uma relação entre FEV1/FVC <70%, após broncodilatação (BD)”, neste quinto módulo é feita uma revisão do tratamento da DPOC, que passa por “aliviar os sintomas, como a dispneia e a fadiga, melhorar a tolerância ao exercício, melhorar o estado global de saúde” e ajudar a reduzir o risco de progressão da doença, exacerbações e mortalidade.

Segundo as recomendações da GOLD, os tratamentos farmacológicos para atuação na doença, dependendo do grau de sintomas, podem passar por broncodilatador (BD) de curta duração de ação (SAMA) ou por um de longa ação (LAMA). De acordo com os formadores, “as associações de broncodilatadores (LABA+LAMA) são mais eficazes do que as monoterapias (LABA ou LAMA) na redução de sintomatologia e exacerbações”. 

Outra das soluções, passa pela aplicação de corticoides inalados (ICS) em “combinação com um ou dois BD de longa ação”, tendo em conta que estes “permitem reduzir exacerbações em doentes com antecedentes de exacerbação e com >100 eosinófilos no sangue periférico”, salientam. 

Este e outros seis módulos-vídeo de Atualização e Formação em DPOC são destinados a profissionais de saúde das áreas: Medicina Geral e Familiar, Medicina Interna e Pneumologia, abrangendo ainda médicos internos do Ano Comum e outras especialidades com interesse na DPOC. Aceda aos conteúdos através de inscrição, na plataforma.

Uma iniciativa do Jornal Médico, com o apoio da Bial e com o apoio científico da Sociedade Portuguesa de Pneumologia.

Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?
Editorial | Denise Cunha Velho
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?

Sou do tempo em que, na Zona Centro, não se conhecia a grelha de avaliação curricular, do exame final da especialidade. Cada Interno fazia o melhor que sabia e podia, com os conselhos dos seus orientadores e de internos de anos anteriores. Tive a sorte de ter uma orientadora muito dinâmica e que me deu espaço para desenvolver projectos e actividades que me mantiveram motivada, mas o verdadeiro foco sempre foi o de aprender a comunicar o melhor possível com as pessoas que nos procuram e a abordar correctamente os seus problemas. Se me perguntarem se gostaria de ter sabido melhor o que se esperava que fizesse durante os meus três anos de especialidade, responderei afirmativamente, contudo acho que temos vindo a caminhar para o outro extremo.