6.º encontro de MGF do Algarve agendado para outubro
DATA
25/07/2022 11:00:56
AUTOR
Jornal Médico
6.º encontro de MGF do Algarve agendado para outubro

A Delegação Distrital de Faro da APMGF vai organizar nos dias 28 e 29 de outubro de 2022 o 6º Encontro de Médicos de Família do Algarve, no Hotel Dom Pedro, em Vilamoura.

A iniciativa contará com sessões centradas na melhor abordagem dos especialistas em Medicina Geral e Familiar relativamente a patologias do foro psiquiátrico, pediátrico, ginecológico, endocrinológico (em particular a diabetes e fatores de risco cardiovasculares) e urológico (com ênfase para a notúria).

As mesas redondas são constituídas por médicos de família da região e médicos de especialidades hospitalares, com o intuito de debater questões relacionadas com o diagnóstico, tratamento e referenciação atempada de doentes.

Para o dia 29 de outubro, sábado, estão igualmente previstos dois workshops, dedicados ao Suporte Básico de Vida (SBV) com certificação e à colocação de implantes hormonais subcutâneos e dispositivos intra-uterinos, este último com recurso a modelos.

O prazo limite de envio de resumos são as 23h59 do dia 5 de setembro de 2022. 

Pode submeter os seus trabalhos através desta plataforma eletrónica e consultar o Regulamento para Apresentação de Comunicações Livres

Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?
Editorial | Denise Cunha Velho
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?

Sou do tempo em que, na Zona Centro, não se conhecia a grelha de avaliação curricular, do exame final da especialidade. Cada Interno fazia o melhor que sabia e podia, com os conselhos dos seus orientadores e de internos de anos anteriores. Tive a sorte de ter uma orientadora muito dinâmica e que me deu espaço para desenvolver projectos e actividades que me mantiveram motivada, mas o verdadeiro foco sempre foi o de aprender a comunicar o melhor possível com as pessoas que nos procuram e a abordar correctamente os seus problemas. Se me perguntarem se gostaria de ter sabido melhor o que se esperava que fizesse durante os meus três anos de especialidade, responderei afirmativamente, contudo acho que temos vindo a caminhar para o outro extremo.