Sindicatos e Governo chegam a acordo para incluir grelha salarial dos médicos nas negociações
DATA
27/07/2022 11:56:22
AUTOR
Jornal Médico
Sindicatos e Governo chegam a acordo para incluir grelha salarial dos médicos nas negociações

A secretária de Estado da Saúde, Maria de Fátima Fonseca, congratulou-se esta noite com um acordo com os sindicatos médicos em relação a um protocolo negocial que vai ser negociado e que inclui a grelha salarial.

O acordo foi conseguido esta noite, após sete horas de reunião, depois de ter sido suspensa a reunião de 13 de julho, porque o Sindicato Independente dos Médicos (SIM) e a Federação Nacional dos Médicos (FNAM) avançaram com uma contraproposta ao protocolo negocial apresentado pelo Ministério da Saúde para que a grelha salarial desses profissionais fosse incluída nas negociações.

Esta noite os sindicatos, FNAM e SIM, anunciaram que foi conseguido o acordo em torno do protocolo. É um processo que “marca, de facto, o início de uma negociação substantiva em torno de temas como o regime de dedicação plena no Serviço Nacional de Saúde (SNS), que figura no programa de Governo e que iremos cumprir, também o tema da organização do trabalho em serviço de urgência, que se tornou por demais evidente que é necessário abordar de uma forma estruturada, e outros temas relacionados com a grelha salarial e com a valorização dos trabalhadores médicos”, referiu Maria de Fátima Fonseca.

A responsável assinalou que este processo negocial se junta a outros que já estão em curso, com outros grupos profissionais, porque só de forma estruturada serão possíveis reformas que levem o SNS para “outros patamares de resposta aos cidadãos”, disse.

A secretária de Estado disse que do processo negocial sairão medidas em momentos diferentes, para resolver questões relevantes para os profissionais e para o SNS, e frisou que as medidas de caráter estrutural só conseguem ser acordadas através de negociações com os sindicatos dos trabalhadores.

Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?
Editorial | Denise Cunha Velho
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?

Sou do tempo em que, na Zona Centro, não se conhecia a grelha de avaliação curricular, do exame final da especialidade. Cada Interno fazia o melhor que sabia e podia, com os conselhos dos seus orientadores e de internos de anos anteriores. Tive a sorte de ter uma orientadora muito dinâmica e que me deu espaço para desenvolver projectos e actividades que me mantiveram motivada, mas o verdadeiro foco sempre foi o de aprender a comunicar o melhor possível com as pessoas que nos procuram e a abordar correctamente os seus problemas. Se me perguntarem se gostaria de ter sabido melhor o que se esperava que fizesse durante os meus três anos de especialidade, responderei afirmativamente, contudo acho que temos vindo a caminhar para o outro extremo.