Tonic App trata a informação em Saúde como uma medicação prescrita por médicos
DATA
12/09/2022 12:22:24
AUTOR
Jornal Médico
Tonic App trata a informação em Saúde como uma medicação prescrita por médicos

Nascida no Porto em 2016, com presença em Portugal, Espanha, França e Itália, e futuramente, em Inglaterra e Alemanha, a Tonic App está a ajudar médicos e doentes com informação adequada e de confiança sobre doenças e problemas de saúde, através de uma biblioteca digital construída em parceria com associações de doentes. Ao agregar os conteúdos das associações de doentes, impacta um universo superior a 41 milhões de doentes e mais de 110 mil médicos, permitindo aos profissionais encontrar num só sítio informação fidedigna sobre saúde aos seus doentes, contribuindo assim para melhorar a literacia em saúde de uma forma eficiente.

Atualmente, a Tonic App agrega na sua biblioteca digital cerca de 300 conteúdos, que versam 75 doenças e temáticas de saúde tão diversas quanto o “cancro”, as “doenças reumáticas” e a “obesidade”. No total, a Tonic App já registou mais de 18 mil interações da sua comunidade médica com os conteúdos disponíveis para doentes. Entre os que mais partilham informação com os seus doentes estão os médicos das especialidades de Medicina Geral e Familiar, de Psiquiatria da Infância e da Adolescência e de Medicina Física e de Reabilitação, logo seguidos pelos médicos especialistas em Neurologia e em Estomatologia. Brevemente, a biblioteca digital vai ainda ser disponibilizada para todos os enfermeiros, na mais recente app da empresa, a Tonic Nurses.

Luís Pinho Costa, médico especialista em Medicina Geral e Familiar e coordenador do projeto da biblioteca digital da Tonic App lembra que “médicos e doentes vão frequentemente ao Google pesquisar sobre problemas de saúde, tal como vão pesquisar um restaurante, mas as consequências são de natureza bem diferente. Há muita informação errónea online e é preciso ter cuidado com o que se lê, porque o prejuízo é para a saúde do próprio. Não é fácil para um internauta saber como verificar a qualidade da informação sobre saúde que pesquisa. A desinformação em saúde é tão ou mais perigosa quanto a falta de informação, sendo ambas reconhecidas como fatores de risco para uma pior saúde e menor qualidade de vida”.

A Tonic App está, assim, a facilitar a vida dos médicos, não só porque agrega numa única plataforma os recursos digitais que necessitam para o seu trabalho, mas porque faz a curadoria dos conteúdos, isto é, só publica o que realmente tem qualidade e valor para a relação médico-doente. Ou seja, são conteúdos sobre problemas de saúde, que vão desde a sua prevenção ao seu tratamento, mas que esclarecem também outras preocupações dos doentes, como o seu impacto na vida familiar e social e os apoios que estão disponíveis para cada caso.

Para serem integrados na biblioteca digital, os recursos produzidos por organizações reconhecidas, nomeadamente as associações de doentes, mas também entidades públicas, empresas farmacêuticas e de dispositivos médicos, são, primeiramente, analisados e validados por uma equipa multidisciplinar da Tonic App, que conta com sete elementos.

Francisco Cavaleiro de Ferreira, presidente da Liga Portuguesa Contra o Cancro, refere que “a parceria com a Tonic App é um importante contributo para a literacia em saúde e um instrumento fundamental para os médicos ajudarem os seus doentes oncológicos a lidarem com a sua doença e suas comorbilidades, a gerirem a sua ansiedade e, também, a combater a desinformação que grassa pela internet e redes sociais nesta área.”

Para João Filipe Raposo, Diretor Clínico da Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal, “a Tonic App ajuda as pessoas a terem confiança na informação que leem sobre a sua doença e os seus tratamentos, mas também sobre medidas de estilo de vida que podem adotar para se manterem saudáveis. A informação, ao ser veiculada pelo médico, ganha uma maior credibilidade e a plataforma digital facilita esta partilha.”

Os médicos utilizadores da Tonic App, podem, assim, partilhar estes conteúdos com os seus doentes, diretamente através da plataforma, por email, como complemento à consulta realizada presencialmente ou virtualmente.

Luís Pinho Costa explica também que “a Tonic App, além de estar a resolver o problema da fragmentação massiva de conhecimento e dos silos de informação sobre saúde, oferece ainda um conjunto de ferramentas necessárias ao dia-a-dia dos médicos para os apoiar na tomada de decisão clínica e os ajudar a gerir de forma mais eficiente o tempo que dedicam aos seus doentes. São alguns exemplos destas ferramentas um sistema de videoconsulta, escalas de avaliação clínica ou, ainda, uma área reservada à discussão de casos clínicos com colegas.

A Tonic App está registada como dispositivo médico para garantir a segurança técnica e científica dos seus algoritmos e os seus conteúdos estão em processo de acreditação pelo European Accreditation Council for Continuing Medical Education (EACCME).” A Tonic App tem ainda outras funcionalidades úteis aos médicos, como as ofertas nacionais e internacionais de emprego, informações sobre congressos profissionais ou até jogos médicos para os tempos livres.

São 25 as associações de doentes com quem a Tonic App já estabeleceu parcerias em Portugal, Espanha e Itália, entre as quais a Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC), a Liga Portuguesa Contra as Doenças Reumáticas (LPCDR), a Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal (APDP) e a Federação Nacional das Associações de Doenças Crónicas (FENDOC). O número de parcerias cresce todas as semanas e estima-se que venha a ultrapassar a meia centena.

 

Urgências no SNS – só empurrar o problema não o resolve
Editorial | Gil Correia
Urgências no SNS – só empurrar o problema não o resolve

É quase esquizofrénico no mesmo mês em que se discute a carência de Médicos de Família no SNS empurrar, por decreto, os doentes que recorrem aos Serviços de Urgência (SU) hospitalares para os Centros de Saúde. A resolução do problema das urgências em Portugal passa necessariamente pelo repensar do sistema, do acesso e de formas inteligentes e eficientes de garantir os cuidados na medida e tempo de quem deles necessita. Os Cuidados de Saúde Primários têm aqui, naturalmente, um papel fundamental.