Manuel Pizarro: “O SNS tem problemas, mas também tem provas dadas”
DATA
16/09/2022 10:39:27
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Manuel Pizarro: “O SNS tem problemas, mas também tem provas dadas”

A propósito dos 43 anos do Serviço Nacional de Saúde (SNS), o ministro da Saúde, Manuel Pizarro, salientou que o SNS tem problemas e dificuldades, apesar de se tratar de “um serviço público em que os portugueses podem confiar”.

Naquele que foi o seu primeiro ato público, cinco dias depois ter tomado posse, o ministro da Saúde sublinhou que o SNS mostrou a sua força “nos anos terríveis de pandemia”, mostrando que se trata de um serviço público de confiança. “Sim, é verdade que o SNS tem dificuldades e problemas, mas também não devemos esquecer que tem forças e provas dadas”, defendeu.

“Mesmo em comparação com outros serviços públicos de saúde de países mais ricos que nós, podemos ver o nosso Serviço Nacional de Saúde a dar uma resposta, baseada sobretudo no esforço e na dedicação dos seus profissionais”, alegou.

Minutos antes de participar na rega da ”Oliveira SNS”, que decorreu no Parque Verde da cidade de Coimbra, Manuel Pizarro evidenciou a importância de se reafirmar o compromisso com os valores do SNS.

“Quando reafirmamos o nosso compromisso com os valores do SNS, não podemos esquecer que esses valores têm de ter uma atualização, uma modernização dos serviços. Defender o SNS não pode ser uma atitude conservadora em relação a tudo o que temos e à forma de organizar os serviços”, salientou.

No seu entender, o que está em causa “é a ideia generosa de democratizar o acesso à saúde”. Isto é, garantir a todos e a todas, qualquer que seja o lugar onde moram ou as suas condições sociais, o acesso à inovação tecnológica na área da saúde, que nos permite viver mais e viver melhor”, concluiu.

O primeiro ato público do novo ministro da Saúde estava inserido na programação do simpósio “As crises sociais e o impacto do SNS”, promovido pela Ordem dos Médicos do Centro, que arrancou hoje e tem lugar até sábado.

 

Urgências no SNS – só empurrar o problema não o resolve
Editorial | Gil Correia
Urgências no SNS – só empurrar o problema não o resolve

É quase esquizofrénico no mesmo mês em que se discute a carência de Médicos de Família no SNS empurrar, por decreto, os doentes que recorrem aos Serviços de Urgência (SU) hospitalares para os Centros de Saúde. A resolução do problema das urgências em Portugal passa necessariamente pelo repensar do sistema, do acesso e de formas inteligentes e eficientes de garantir os cuidados na medida e tempo de quem deles necessita. Os Cuidados de Saúde Primários têm aqui, naturalmente, um papel fundamental.