Apenas 5% dos 11.080 casos ativos de Covid-19 na região de Lisboa e Vale do Tejo necessitam de internamento e menos de 1% de cuidados intensivos, avançou hoje à Lusa o presidente da ARSLVT, Luís Pisco.
Published in Atualidade
Quase 86% das camas de enfermaria para Covid-19 e 76,5% das camas de cuidados intensivos na região de Lisboa e Vale do Tejo (LVT) estão ocupadas, avançou à Lusa o presidente da ARS, assegurando que ainda há “margem de progressão”.
Published in Atualidade

O Hospital Fernando Fonseca é o hospital de Lisboa e Vale do Tejo com o maior número de episódios de urgência desde o início do ano, tendo registado 94 mil até junho, disse à Lusa o presidente da instituição.

Published in Atualidade

As equipas multidisciplinares criadas no âmbito do combate à Covid-19 em cinco concelhos da área Metropolitana de Lisboa contactaram, nas últimas três semanas, 6.364 pessoas, anunciou hoje a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT).

Published in Atualidade

As equipas multidisciplinares criadas no âmbito do combate à Covid-19, em cinco concelhos da área Metropolitana de Lisboa, contactaram 602 pessoas, no dia 30 de junho, revelou a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT).

Published in Atualidade

A ministra da Saúde, Marta Temido, negou hoje que a capacidade de internamento para doentes com Covid-19 em Lisboa e Vale do Tejo (LVT) esteja em rutura.

Published in Atualidade

A atividade hospitalar na região de Lisboa e Vale do Tejo está estável e deverá ser retomada na próxima semana, apesar de haver entre 200 e 300 novos casos de Covid-19 diários, disse hoje a ministra da Saúde.

Published in Atualidade
O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Editorial | Jornal Médico
O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. Encontrar uma nova visão e adotar uma nova estratégia útil na nossa prática clínica quotidiana. Valorizar as unidades de saúde por estarem a dar as respostas adequadas e seguras é o mínimo que se exige, mas é urgente e inevitável um plano de investimento nos centros de saúde do Serviço Nacional de Saúde.

Mais lidas