O Serviço Nacional de Saúde (SNS) registou um saldo provisório consolidado de -620,9 milhões de euros em 2019, o que representa uma descida de 15,3% em relação ao valor de 2018 (-732,8 milhões), de acordo com os dados da Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS).

Published in Atualidade

A ministra da Saúde, Marta Temido, afirmou estar empenhada em concretizar a redução do défice e da dívida, sublinhando a necessidade de um maior investimento no setor da saúde.

Published in Atualidade

A dívida do Serviço Nacional de Saúde (SNS) a fornecedores e credores totalizou 2,9 mil milhões de euros em 2017, o que representa um agravamento de 51,6% face a 2014, revela uma auditoria do Tribunal de Contas (TC).

Published in Atualidade

Os hospitais públicos deviam, em agosto, 288,5 milhões de euros (ME) às empresas de dispositivos médicos e demoravam em média quase um ano a pagar, revela a Associação Portuguesa das Empresas de Dispositivos Médicos (APORMED).

Published in Atualidade
quarta-feira, 01 agosto 2018 12:43

CHLN reconhece dívida elevada ao IPST

A administração do Centro Hospitalar de Lisboa Norte (CHLN) reconhece que a dívida ao Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST) é elevada, mas garante que está a diminuir.

Published in Atualidade

No final de 2016, os hospitais públicos tinham uma dívida superior a 77 milhões de euros (ME) ao Instituto Português do Sangue e Transplantação (IPST), com o Centro Hospitalar Lisboa Norte (CHLN) a ser o principal devedor.

Published in Atualidade

A dívida do Centro Hospitalar Lisboa Norte (CHLN) cresceu quase sete milhões por mês em 2017, com o Tribunal de Contas (TC) a considerar que o mesmo se encontrava em falência técnica em 2015 e 2016.

Published in Atualidade

O Ministério da Saúde vai pagar as dívidas às corporações de bombeiros, que ascendem a cerca de oito milhões de euros, anunciou hoje a Liga dos Bombeiros Portuguesa (LBP), considerando que fica “ultrapassada uma situação grave” com esta regularização.

Published in Atualidade
DESconfinar sem DISconfinar: Um desafio para inovar e aproveitar a oportunidade
Editorial | Rui Nogueira, Médico de Família e presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar
DESconfinar sem DISconfinar: Um desafio para inovar e aproveitar a oportunidade
Depois de três meses de confinamento é necessário aceitarmos a prudência de DES”confinar sem DISconfinar. Não vamos querer “morrer na praia”! As aprendizagens da pandemia Covid-19 são uma ótima oportunidade para acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. O estado de emergência e o estado de calamidade ensinaram-nos muito! É necessário desconfinar o centro de saúde com uma nova visão e reinventar o conceito com unidades de saúde aprendentes e inovadoras.

Mais lidas