quarta-feira, 17 outubro 2018 11:40

Espanha confirma terceiro caso de dengue

O Ministério da Saúde espanhol confirmou  mais um caso de dengue, o terceiro, em Espanha. Trata-se de uma mulher residente na Comunidade Autónoma de Madrid que já tinha apresentado sintomas da doença e estava à espera da confirmação do diagnóstico, depois de dois membros da sua família terem contraído a mesma enfermidade.

Published in Atualidade

O Camboja registou um total de 5.284 casos de dengue nos primeiros seis meses de 2018, um aumento de 234% em comparação com os 1.580 casos registados no mesmo período de 2017.

Published in Atualidade

Os Serviços de Saúde (SS) de Macau anunciaram, hoje, que vão intensificar as medidas de prevenção e as ações de eliminação de mosquitos, para reduzir o risco de propagação da febre de dengue e do vírus Zika.

Published in Atualidade

Os Serviços de Saúde confirmaram ontem a existência de um sétimo caso importado de febre de dengue, elevando para 14 o total de ocorrências desde o início do ano.

Published in Atualidade

Os Serviços de Saúde de Macau confirmaram ontem a existência de um quinto caso local de febre de dengue, num adolescente residente na zona onde foram registados os quatro anteriores casos da doença.

Published in Atualidade
terça-feira, 26 julho 2016 11:42

Brasil disponibiliza vacina contra a dengue

vacina

A Dengvaxia, a primeira vacina contra a dengue, já se encontra disponível no Brasil e pode ser adquirida por hospitais e clínicas privadas daquele país. Os preços deverão variar entre os 36 e os 38 euros, anunciou ontem o regulador.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) esclareceu que já estão a ser analisadas outras vacinas com o objetivo de serem igualmente comercializadas no futuro.

A vacina, que protege contra os quatro tipos desta doença, embora sem 100% de eficácia, poderá ser aplicada em pessoas com idades compreendidas entre os nove e os 45 anos em três doses, com seis meses de intervalo entre cada toma.

De acordo com o Ministério da Saúde daquele país, ainda não há uma previsão de compra da vacina para o Sistema Único de Saúde, contudo, a Dengvaxia já foi aprovada pelo governo brasileiro no mês de dezembro de 2015.

Published in Mundo

dengue
O ministro da Saúde do Brasil, Arthur Chioro, afirmou, na semana passada, que espera que a vacina contra a dengue, que está a ser desenvolvida pelo país, esteja disponível em 2018, uma vez findos todos os testes.

“O que aguardamos agora é o desenvolvimento de uma vacina segura contra a dengue. Não há uma expectativa imediata. As melhores hipóteses que temos dão conta de que poderemos, se tudo der certo, ter uma vacina segura para todos os brasileiros (…) lá para 2018. Insisto: se tudo der certo na pesquisa”, disse.

Segundo o ministro , o sucesso depende de avanços dos laboratórios que realizam investigações nessa área – incluindo o Instituto Butantan, em São Paulo, e o Fiocruz, no Rio de Janeiro.

As declarações de Arthur Chioro foram proferidas durante o programa “Bom dia, ministro”, produzido pela Secretaria de Imprensa da presidência, e reproduzidas pelo portal G1.

O Instituto Butantan recebeu, na semana passada, aprovação da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) para iniciar a terceira fase de estudo clínico.

Esta terceira fase – a última antes de o produto ser avaliado pelas agências reguladoras – vai ser realizada em cooperação com os Institutos de Saúde dos Estados Unidos (NIH), segundo os ‘media’ brasileiros.

Este ano, até 18 de abril, o Brasil registou 745.900 casos de febre dengue, 229 dos quais mortais, refletindo uma situação de epidemia.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera existir uma epidemia quando para cada grupo de 100 mil habitantes, a incidência da doença supera 300 casos. No Brasil, o índice era de 367,8.

Os mais de 745 mil casos até 18 de abril representavam um aumento de 234,2% no número de infetados com dengue em relação ao período homólogo de 2014.

A OMS estima que em cada ano se registem entre 50 e 100 milhões de infeções pelo vírus da dengue no mundo.

Cerca de 500 mil pessoas que sofrem de dengue grave precisam de hospitalização e, de entre estes, aproximadamente 2,5% morrem .

Published in Mundo

Dengue
Os deputados da Assembleia Legislativa da Madeira aprovaram hoje, por unanimidade, uma proposta de lei da autoria do PCP que visa a criação de uma estratégia nacional para a prevenção e controlo de epidemias da febre do dengue.

A proposta de diploma, a enviar à Assembleia da República, baixou à comissão para discussão na especialidade e aponta como objetivos “evitar a incidência da febre da dengue, prevenir e controlar processos epidémicos e evitar a ocorrência de dengue hemorrágico”.

No articulado, a proposta legislativa “estabelece ser dever o Estado a implementar uma estratégia nacional para a prevenção e controlo de epidemias da febre da dengue", devendo o seu financiamento ser suportado pelo Orçamento de Estado nacional.

Durante o período da discussão no plenário do parlamento madeirense, o deputado do CDS/PP, o médico Mário Pereira, salientou que “o mapa mundial da dengue está em mudança”.

O parlamentar centrista insular apontou que desde o surto que se registou na Madeira, em 2012, foram diagnosticados 2.470 casos de doença autóctones neste arquipélago, um número que considerou “não ser rigoroso” pois, no seu entender, existiram situações detetadas na medicina privada que não foram contabilizadas.

Mário Pereira realçou que estão referenciados, neste momento, “quatro mutações genéticas” do vírus, que “são mais resistentes a inseticidas”, pelo que, opinou, “o combate químico não é solução para a Madeira e a sua defesa é uma fraude” e este deve ser feito através da destruição dos ovos do mosquito Aedes aegypti.

Por seu turno, o deputado da maioria do PSD/M Marco Gonçalves destacou que as autoridades de saúde têm “um plano ativo” de combate à doença, sublinhando que “desde fevereiro de 2013 que não há casos de dengue com origem na região”.

O deputado Dionísio Andrade (PND) alertou para a dificuldade de controlar estas situações numa região que vive do turismo e que tem muitos madeirenses que emigraram para países africanos na sequência da crise.

Segundo a secretaria da Saúde da Madeira, depois do surto registado em 2012, “desde fevereiro de 2014 que não há casos importados de dengue na Região e desde fevereiro de 2013 que não há casos de dengue com origem na Região Autónoma da Madeira”.

Apesar do conhecimento da presença do mosquito Aedes aegypti na Madeira desde 2005, os primeiros casos de febre da dengue foram registados laboratorialmente a 3 de outubro de 2012.

A febre da dengue transmite-se aos humanos pela picada do mosquito Aedes aegypti infetado e apresenta como sintomas febre e dores de cabeça e nas articulações. Num estado mais avançado, a doença pode causar hemorragias e tornar-se mortal.

Published in Mundo
Pág. 1 de 2
800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde
Editorial | Jornal Médico
800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde

Se não os tivéssemos seria bem pior! O reforço do Programa Operacional da Saúde com 800 milhões de euros pode ser entendido como sinal político de valorização do setor da saúde. Será uma viragem na política restritiva? O Serviço Nacional de Saúde (SNS) de 40 anos precisa de cuidados intensivos! Há novos enquadramentos, novas responsabilidades, novas ideias e novas soluções. É urgente pensarmos na nova década com rigor e disponibilidade sincera.

Mais lidas