CongressoObesidade1

As actividades organizadas no âmbito do 18º Congresso Português de Obesidade estenderam-se à população de Aveiro e não apenas à comunidade científica. Foram promovidas sessões lúdicas de educação alimentar especificamente para as crianças. De acordo com a Dra. Joana Guimarães, coordenadora desta acção e presidente da Comissão Organizadora do Congresso, o projecto terá continuidade durante este ano lectivo e provavelmente no próximo.

A acção foi destinada a alunos do 1º Ciclo do Agrupamento de Escolas de Aveiro, com idades compreendidas entre os quatro e os nove anos, sendo organizada pela Comissão Organizadora do Congresso, com o apoio da Câmara Municipal de Aveiro e das escolas envolvidas.

"Também contámos com o apoio da Nutri Ventures, a empresa responsável pelos vídeos apresentados às crianças, que estimulam o estilo de vida saudável", diz a Dra. Joana Guimarães, que é também directora do Serviço de Endocrinologia do Centro Hospitalar do Baixo Vouga. "Numa fase posterior, os profissionais de saúde envolvidos no projecto vão às escolas, com o intuito de saberem se os alunos apreenderam a mensagem expressa nos vídeos, através do preenchimento de uma ficha educativa", adiantando que é um projecto que tanto a edilidade como o ACES do Baixo Vouga pretendem desenvolver nas escolas a longo prazo.

Na opinião da Dra. Joana Guimarães este tipo de acções são fundamentais. "O excesso de peso em idade pediátrica atinge os 30% e Portugal é dos países da europa onde a prevalência da obesidade infantil é maior. Por isso, faz sentido começar a prevenção o mais cedo possível, inclusive na idade pré-escolar", remata a endocrinologista.

Published in Mundo
Pág. 2 de 2
O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Editorial | Jornal Médico
O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. Encontrar uma nova visão e adotar uma nova estratégia útil na nossa prática clínica quotidiana. Valorizar as unidades de saúde por estarem a dar as respostas adequadas e seguras é o mínimo que se exige, mas é urgente e inevitável um plano de investimento nos centros de saúde do Serviço Nacional de Saúde.

Mais lidas