×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 34880
Curso teórico-prático sobre a realização de imobilizações com gesso volta ao Hospital CUF Descobertas
DATA
06/02/2020 11:03:55
AUTOR
Curso teórico-prático sobre a realização de imobilizações com gesso volta ao Hospital CUF Descobertas

“Um dia na sala de gessos” é o tema do curso teórico-prático organizado pela CUF Academic and Research Medical Center para o próximo dia 9 de maio no Hospital CUF Descobertas. Dirigido a internos de Ortopedia, enfermeiros e estudantes de medicina e de enfermagem, o curso inclui sessões práticas, para além de sessões sobre os princípios e as complicações das imobilizações gessadas e os materiais de imobilização. À conversa com o Jornal Médico estiveram um dos formadores, o ortopedista Mário Vale, e o coordenador do curso e do Serviço de Ortopedia, Jorge Mineiro, para nos darem a conhecer os objetivos do evento.

JORNAL MÉDICO (JM) | Como surge a ideia/necessidade deste curso? 

MÁRIO VALE (MV) | A realização de imobilizações com gesso é uma das práticas mais frequentes no contexto da Ortopedia e Traumatologia. A ideia do curso surge da constatação de que cada vez menos se ensina a técnica de aplicação de imobilizações e de que tanto os enfermeiros como os médicos internos da especialidade de Ortopedia vão aprendendo sozinhos e à custa da tentativa/erro. A nossa equipa de enfermagem desafiou-nos a realizar um curso que preenchesse essa lacuna de formação.

JM | Quais são os objetivos?

MV | O que se pretende com este curso é ensinar os princípios básicos da confeção de imobilizações, alertar para as suas complicações mais frequentes e dar oportunidade aos alunos para treinarem várias técnicas de imobilização.

JM | Que expectativas tem em relação ao curso?

MV | Temos visto um crescente interesse pelo curso. Assim, este ano, reforçámos a nossa equipa de formadores, para darmos a melhor resposta possível ao número de alunos que esperamos.

JM | Tem a seu cargo a sessão "Princípios das imobilizações gessadas". Identifica algum aspeto como maior fonte de dúvidas ou erros?

MV | Diria que a principal dificuldade é o correto manuseamento e preparação dos diferentes materiais disponíveis para imobilizações. Um gesso é utilizado com o objetivo de imobilizar um membro que tem uma lesão osteoarticular, mas se não for colocado corretamente pode ser uma fonte de complicações e agravamento da dor.

JM | Qual a importância e/ou mais valia de incorporar a esfera da medicina e a de enfermagem no mesmo curso? 

MV | Na Ortopedia e Traumatologia, o trabalho em equipa é fundamental para o bem-estar do doente e a complementaridade dos elementos médicos e de enfermagem é uma marca da nossa unidade. Queremos mostrar isso mesmo.



comentarioJorgeMineiro

O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Editorial | Jornal Médico
O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. Encontrar uma nova visão e adotar uma nova estratégia útil na nossa prática clínica quotidiana. Valorizar as unidades de saúde por estarem a dar as respostas adequadas e seguras é o mínimo que se exige, mas é urgente e inevitável um plano de investimento nos centros de saúde do Serviço Nacional de Saúde.

Mais lidas