Roberto Abi Rached: "Na Novartis acreditamos na força de uma conversa poderosa"
DATA
09/06/2020 10:01:13
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Roberto Abi Rached: "Na Novartis acreditamos na força de uma conversa poderosa"

RESPTalks. Assim se chama o podcast da Novartis dedicado profissionais de saúde interessados por patologia respiratória, que já está disponível nas plataformas iTunes e Google Play. O Chief Scientific Officer do grupo farmacêutico, Roberto Abi Rached, fala desta iniciativa, que inclui temas como a utilização correta das câmaras expansoras no doente com doença pulmonar obstrutiva crónica e a gestão do doente com bronquiectasias.

JORNAL MÉDICO (JM) | O que incentivou a criação do projeto e quais os objetivos associados?

ROBERTO ABI RACHED (RAB) | O RESPTalks é o primeiro podcast da área respiratória, em Portugal, especificamente concebido para profissionais de saúde interessados por patologia respiratória e quer vingar pelo interesse dos seus conteúdos e pela pertinência dos temas. Assistimos, hoje, com um misto de empatia e gratidão, ao ritmo desafiante que os profissionais de saúde vivem o seu dia a dia, particularmente durante a fase da Covid-19. No entanto, vemos também que todos eles, sem exceção, primam por se manterem atualizados em qualquer que seja a circunstância, continuando a procurar, nomeadamente junto da Novartis, informação científica credível e relevante que apoie a sua prática clínica. Por este motivo e por acreditarmos que podemos acrescentar valor através de um canal (áudio via podcast) que se adapta ao ritmo de cada profissional de saúde, nos momentos em que for conveniente, decidimos lançar o primeiro podcast da área respiratória em Portugal, acolhendo todos os profissionais de saúde que o vejam como uma mais valia.

(JM) | A estreia do podcast dirigido a profissionais de saúde arranca com o programa “Câmaras expansoras: quando e como?”. A questão que coloco é exatamente essa: quando e como se poderá ouvir as respostas?

(RAB) | O primeiro episódio do RESPTalks já está disponível em todas as plataformas de podcast no iTunes e no Google Play. Para aceder aos conteúdos, basta subscrever o canal que é privado e, portanto, restrito a profissionais de saúde. Para aceder livremente aos episódios e tê-los sempre no seu telemóvel na app favorita de podcast, o profissional de saúde – médico, enfermeiro ou farmacêutico – tem apenas de subscrever o canal através do link disponibilizado no mypneumologia.pt ou em www.medhub.pt. Basta um clique para a subscrição do RESPTalks e todos os episódios serão automaticamente disponibilizados.

(JM) | Porquê o formato áudio?

(RAB) | Na Novartis, acreditamos na força de uma conversa poderosa. Acreditamos no poder do conhecimento e sabemos que os profissionais de saúde em Portugal querem informação científica atual, rigorosa, útil e, acima de tudo, flexível. Queremos estar ao lado dos profissionais de saúde no seu dia a dia, enquanto reimaginamos a Medicina em Portugal e no mundo.

(JM) | Que especialidades estão envolvidas?

(RAB) | Os conteúdos que estamos a desenvolver serão certamente úteis, sobretudo para as especialidades médicas que gerem patologia respiratória como a Pneumologia, a Alergologia, a Medicina Interna e a Medicina Geral e Familiar, mas também enfermeiros e farmacêuticos interessados em aprofundar os conhecimentos clínicos adaptados à área respiratória.  No RESPTalks vamos falar de muitos temas da área respiratória como a utilização correta das câmaras expansoras no doente com DPOC [doença pulmonar obstrutiva crónica], mas também sobre a gestão desafiante do doente com bronquiectasias, o papel e impacto da inflamação sistémica nas doenças respiratórias crónicas, entre outros temas.

(JM) | Em que se baseia a escolha das temáticas e dos profissionais que as vão abordar?

(RAB) | Conversamos e ouvimos muitos médicos com quem colaboramos na área respiratória para compreender em que áreas existe a necessidade de informação científica fidedigna, de valor acrescentado e de fácil acesso. Assim, a escolha das temáticas vai precisamente nesse sentido, contribuir para colmatar potenciais necessidades de formação e aprendizagem, para que os profissionais de saúde possam desempenhar uma ainda melhor prática clínica junto do doente respiratório.

O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Editorial | Jornal Médico
O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. Encontrar uma nova visão e adotar uma nova estratégia útil na nossa prática clínica quotidiana. Valorizar as unidades de saúde por estarem a dar as respostas adequadas e seguras é o mínimo que se exige, mas é urgente e inevitável um plano de investimento nos centros de saúde do Serviço Nacional de Saúde.

Mais lidas