Reações cutâneas adversas a fármaco
DATA
09/12/2021 09:43:20
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Reações cutâneas adversas a fármaco

O XX Congresso Nacional de Dermatologia e Venereologia, que ocorreu entre 26 e 28 de novembro, contou com a presença da especialista do Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte Catarina Correia, que abordou o tema “Reações cutâneas exuberantes associadas à vacinação anti-SARS-CoV-2: série de casos”. Veja o vídeo.

Em entrevista ao Jornal Médico, Catarina Correia revelou que os casos apresentados dizem respeito aos vários tipos de reações cutâneas às vacinas Pfizer, AstraZeneca e Moderna.

Explicou que o mais importante a reter é o facto de “apesar de às vezes as reações parecerem exuberantes e disseminadas, foram tratadas todas eficazmente com corticoterapia tópica e oral. Só foi necessário combinar corticoide tópico com oral em quatro casos. E nos casos em que se administrou as doses subsequentes da vacina, seja a segunda dose, seja a terceira dose, não houve realmente recidiva destas dermatoses, nem qualquer complicação”.

A especialista assume que o principal é “desmistificar estas reações”, que “apesar de às vezes nos assustarem, não são contraindicação para as administrações subsequentes da vacina”.

Assista à entrevista na íntegra.

#sejamestrelas
Editorial | António Luz Pereira
#sejamestrelas

Ciclicamente as capas dos jornais são preenchidas com o número de novos médicos. Por instantes todos prestam atenção aos números. Sim, para muitos são apenas números. Para nós, são colegas que se decidiram pelo compromisso com os utentes nas mais diversas áreas. Por isso, queremos deixar a todos, mas especialmente aqueles que abraçaram este ano a melhor especialidade do Mundo uma mensagem: “Sejam Estrelas”.

Mais lidas