Nuno Jacinto: “Todos juntos, em Aveiro, vamos conseguir mais uma vez marcar o panorama da MGF em Portugal”

A Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF) vai realizar o 39.º Encontro Nacional de Medicina Geral e Familiar (MGF) no Centro de Congressos de Aveiro, num formato totalmente presencial, entre os dias 30 de março e 2 de abril de 2022, sob o lema “MGF no Centro da Saúde”. Nuno Jacinto, presidente da APMGF, antecipa que este evento, “o espaço por excelência da MGF em Portugal”, vai certamente “contribuir para a construção de soluções que permitam melhorar a realidade dos médicos de família, dos profissionais dos cuidados de saúde primários (CSP) e dos utentes”.

Este ano, o Encontro Nacional de Medicina Geral e Familiar (ENMGF) regressa ao “Centro do país”, em Aveiro, sob o lema “MGF no Centro da Saúde”. Esta escolha tem, como contou Nuno Jacinto ao Jornal Médico, uma “dupla simbologia”. “Além de existir um grande peso da MGF na zona Centro e de a Associação não promover há muito tempo um grande evento nesta zona do país, existe igualmente a necessidade de reposicionar a MGF no centro de saúde, pois precisamos urgentemente de voltar às nossas unidades de trabalho, e recolocá-la no centro do sistema, do Serviço Nacional de Saúde, de modo que possamos ser, efetivamente, a base de toda esta organização de cuidados,” salientou.

Cansado de “palavras bonitas” (“ouvimos constantemente dizer que somos importantes, que os cuidados de saúde primários são um pilar essencial”), o presidente da APMGF defende “a passagem para ações concretas, para que as intenções se tornem reais”, sendo esse também o mote deste Encontro Nacional, “trazer estes assuntos que nos preocupam para a ordem do dia, para a nossa agenda e para a agenda de quem pode decidir”.

Uma sessão que poderá ser paradigmática dessa mudança, ou pelo menos “ser mais um passo nesse caminho”, é a “APMGF Open Meeting”, no dia 2 de abril, que terá como objetivo primordial a apresentação dos resultados preliminares de uma reunião realizada no Porto, a 13 de novembro de 2021, centrada no tema “Um Novo Futuro para a Medicina Geral e Familiar em Portugal”.  Com efeito, como fez questão de sublinhar Nuno Jacinto, “estamos empenhados em materializar o pensamento da APMGF para o futuro da nossa especialidade em Portugal para as próximas décadas e, neste encontro, vamos apresentar alguns dos resultados e contributos obtidos na reunião do Porto, que foi muito participada, e começar a perspetivar quais serão as medidas e os programas que gostaríamos de trabalhar e de implementar no futuro”. No culminar desta sessão, Miguel Azevedo, Eunice Carrapiço e Vítor Ramos, “três colegas muito ligados a estes assuntos, vão-nos ajudar a olhar para os resultados de uma forma crítica, saber o é prioritário e quais são as questões de fundo que exigem um trabalho mais participativo, com o objetivo de conseguirmos começar a limar arestas e a retirar algo de mais concreto e palpável do documento que preparámos”, observou o dirigente.

Espaço para o “humanismo” na conferência de abertura e de encerramento

Quanto à conferência de abertura e de encerramento terão, este ano, um formato diferente do habitual. Como desvendou o responsável, a primeira será proferida pela enfermeira Carmen Garcia, criadora do blog “A mãe imperfeita”, influencer da Saúde nas redes sociais, autora de vários livros (entre os quais o manual «Os dez mandamentos de uma mãe imperfeita» e o romance «A Anos-Luz»), colunista do Jornal Público e que esteve na frente da batalha contra a pandemia Covid-19.  “Queremos trazer uma visão mais humanista e do mundo real para o nosso Encontro Nacional, pois em cada médico, enfermeiro ou assistente técnico há, obviamente, um ser humano com todas as necessidades (de descanso, de ter tempo próprio…), profissionais que durante esta pandemia foram sujeitos a uma enorme carga emocional”. O humanismo é também um ponto central na conferência de encerramento, pois segundo Nuno Jacinto, “a APMGF foi saber o que pensam os utentes dos médicos de família”. Na sessão, serão mostrados depoimentos em vídeo de utentes dispersos por todo o país sobre qual o seu sentimento em relação ao seu médico de família e qual a importância que lhes atribuem.

Relativamente ao programa do evento, “são inúmeros os temas que estarão em foco”, tendo o mesmo contado com o contributo dos sócios para a eleição de seis dos assuntos a serem discutidos na vertente técnico-científica: “Alterações do hemograma mais frequentes”, “Hot topics – Saúde Mental”, “Úlceras de pele – o papel do Médico de Família”, “Como lidar com a complexidade em MGF”, “Novas dependências” e “Hot topics – Saúde Infantil.”

Em termos socioprofissionais, o presidente da APMGF destaca as mesas de colaboração com a USF-AN e com os sindicatos (“Indicadores dos cuidados primários e evidência científica” e “O papel dos sindicatos no novo futuro da MGF”), bem como a sessão sobre “a realidade de colegas que estão a trabalhar fora do país dispersos pelo mundo” (“MGF pelo mundo”), a sessão “MGF Fora da Caixa”, “que nos vai mostrar que a MGF pode não ser só a prática tradicional da consulta num gabinete” ou, por exemplo, a mesa sobre Investigação, pois, como sublinhou, “na APMGF estamos apostados em reanimar a investigação nos CSP”.

No que concerne ao programa de workshops, “os 15 workshops previstos irão abranger os temas habituais que interessam o médico de família, além de alguns outros mais inovadores, da autoria de novos grupos de estudos da APMGF”, nomeadamente “Obesidade - Avaliação Clínica e Terapêutica Médica”, do Grupo de Estudos de Obesidade; “Formação Integrada de Negociação”, do Grupo de Estudos de Gestão em Saúde; ou “Ecografia point-of-care para MGF - 1º contacto”, do Grupo de Estudos Ecografia Point-of-care.

As inscrições estão a “decorrer a um bom ritmo”, recordando Nuno Jacinto que os colegas que formalizarem a sua inscrição como novos sócios da APMGF até 28 de fevereiro de 2022, vão ter direito à inscrição gratuita neste ENMGF, “o espaço por excelência da MGF em Portugal”, um evento que vai certamente “contribuir para a construção de soluções que permitam melhorar a realidade dos médicos de família, dos profissionais dos CSP e dos utentes que nos procuram”. “Podem sempre contar connosco para dignificar a nossa especialidade, defender o nosso exercício e certamente que todos juntos em Aveiro, vamos conseguir mais uma vez marcar o panorama da MGF em Portugal”, salienta o dirigente.

Todas as informações e inscrições no site oficial do evento em https://www.39enmgf.pt/.

Preparados para o Futuro? // Preparar o Futuro
Editorial | Conceição Outeirinho
Preparados para o Futuro? // Preparar o Futuro

O início da segunda década deste século, foram anos de testagem. Prova intensa, e avassaladora aos serviços de saúde e aos seus profissionais, determinada pelo contexto pandémico. As fragilidades do sistema de saúde revelaram-se de modo mais acentuado, mas por outro lado, deu a conhecer o nível de capacidade de resposta, nomeadamente dos seus profissionais.