39.º ENMGF: A resposta dos centros de saúde à chegada de refugiados ucranianos
DATA
01/04/2022 10:54:29
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS

39.º ENMGF: A resposta dos centros de saúde à chegada de refugiados ucranianos

Daryna Lavriv, especialista de MGF, participou no 39.º Encontro Nacional da APMGF e durante a cerimónia inaugural alertou para o papel dos centros de saúde na assistência aos refugiados que chegam da Ucrânia. Acompanhe o tema, em vídeo.

Preocupada com a falta de resposta dos hospitais aos utentes portugueses, Daryna Lavriv afirma que é necessário comunicar saúde a estes doentes. A grande maioria não apresenta o boletim de vacinas, ou outros documentos que comprovem o diagnóstico.

Neste contexto, os médicos nos centros de saúde devem pedir novos exames, adaptar o tratamento – nomeadamente, substituindo a medicação que em Portugal não está à venda – e, procurar facilitar a comunicação com o doente, garantindo que estes se sentem seguros e acompanhados.

É ainda importante relembrar o reforço da vacinação não só contra a covid-19, como para a tuberculose, uma doença comum e persistente na Ucrânia.

O congresso continua a decorrer até dia 2 de abril.

Preparados para o Futuro? // Preparar o Futuro
Editorial | Conceição Outeirinho
Preparados para o Futuro? // Preparar o Futuro

O início da segunda década deste século, foram anos de testagem. Prova intensa, e avassaladora aos serviços de saúde e aos seus profissionais, determinada pelo contexto pandémico. As fragilidades do sistema de saúde revelaram-se de modo mais acentuado, mas por outro lado, deu a conhecer o nível de capacidade de resposta, nomeadamente dos seus profissionais.