Nuno Jacinto: “Em todo este processo, os CSP têm sido muito pouco, ou nada, ouvidos”
DATA
08/09/2023 09:26:18
AUTOR
Jornal Médico
Nuno Jacinto: “Em todo este processo, os CSP têm sido muito pouco, ou nada, ouvidos”

As mais recentes declarações de Fernando Araújo, diretor-executivo do Serviço Nacional de Saúde (SNS), acerca daquela que, nas suas palavras, será a “grande reforma” do SNS, prevista para 2024, suscitou uma onda de desaprovação junto de várias Associações portuguesas e profissionais de saúde. Nuno Jacinto, presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF), não ficou indiferente e manifestou o seu descontentamento, considerando ser uma reforma que não tem em consideração a base do sistema, atenta às necessidades dos profissionais de saúde e utentes que, diariamente, se confrontam com os mais diversos desafios. Apesar de “o sistema do SNS precisar de uma reorganização”, a solução apresentada não resolve o problema, clarifica Nuno Jacinto.

Por favor faça login ou registe-se para aceder a este conteúdo

Generalização do modelo B: será a resposta para os problemas dos Cuidados de Saúde Primários?
Editorial | Denise Velho, membro da direção da APMGF
Generalização do modelo B: será a resposta para os problemas dos Cuidados de Saúde Primários?

Nos últimos tempos, temos assistido ao êxodo crescente de médicos, em geral, e Especialistas de Medicina Geral e Familiar, em particular, do Serviço Nacional de Saúde, uns por aposentação e outros por optarem por sair da função pública, ou até pela emigração. A rigidez da tutela, o excesso de burocracia, a falta de material e equipamento nas unidades, as carreiras e salários completamente desfasados da realidade, entre outros, são fatores que vão afastando os médicos. Em algumas zonas do país é desolador o cenário de Centros de Saúde sem médicos, unidades com mais de 9 000 utentes, e apenas um médico ao serviço. Dando o exemplo do meu ACeS, numa zona geográfica e socio-económica até agradável, no último concurso de recrutamento médico, de 41 vagas, apenas 7 foram preenchidas! Onde ainda se vai percebendo alguma estabilidade e capacidade de retenção dos profissionais é, efectivamente, nas Unidades de Saúde Familiar modelo B. 

Mais lidas