Displaying items by tag: Dia Mundial da Meningite

quinta-feira, 23 abril 2020 12:30

GSK assinala Dia Mundial da Meningite

No âmbito do Dia Mundial da Meningite, que se assinala esta sexta-feira, dia 24 de abril, a GSK pretende sensibilizar a comunidade para os sinais e sintomas da doença meningocócica.

Published in Terapêutica

O Jornal Médico assinala o Dia Mundial da Meningite com a entrevista à coordenadora de Pediatria e Neonatologia do Hospital CUF Descobertas, Ana Neto, que acredita nas mais valias do diagnóstico precoce e da vacinação como método preventivo, sem nunca deixar de parte a importância da sensibilidade clínica.

Published in Entrevistas

No Dia Mundial da Meningite a presidente da Sociedade Portuguesa de Pediatria, Fernanda Rodrigues, falou com o Jornal Médico sobre as especificidades da doença e os novos avanços no diagnóstico rápido em microbiologia.  

 

 

Published in Entrevistas

Um contributo para a redução da morbimortalidade. É desta forma que se pode sumarizar a utilização de metodologias mais rápidas para a identificação dos agentes patogénicos, nomeadamente em casos de suspeita de meningite, que têm significado uma verdadeira revolução na área da Microbiologia, abreviando um processo em que a rapidez no diagnóstico/identificação bacteriana é crucial.

Published in Atualidade
terça-feira, 24 abril 2018 16:07

Metade dos pais portugueses desconhecem vacinas do PNV

Quase metade dos pais portugueses (48%) afirmam desconhecer as vacinas que fazem parte do Programa Nacional de Vacinação (PNV) e 28% dos progenitores acreditam, erradamente, que a vacina contra a meningite B integra o PNV de forma generalizada.

Published in Terapêutica
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?
Editorial | Denise Cunha Velho
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?

Sou do tempo em que, na Zona Centro, não se conhecia a grelha de avaliação curricular, do exame final da especialidade. Cada Interno fazia o melhor que sabia e podia, com os conselhos dos seus orientadores e de internos de anos anteriores. Tive a sorte de ter uma orientadora muito dinâmica e que me deu espaço para desenvolver projectos e actividades que me mantiveram motivada, mas o verdadeiro foco sempre foi o de aprender a comunicar o melhor possível com as pessoas que nos procuram e a abordar correctamente os seus problemas. Se me perguntarem se gostaria de ter sabido melhor o que se esperava que fizesse durante os meus três anos de especialidade, responderei afirmativamente, contudo acho que temos vindo a caminhar para o outro extremo.