Dislipidemia e doença cardiovascular: a problemática da prevenção

27 Mai 2024

Andreia Mamede,

“Na maioria dos doentes com dislipidemia, as medidas não farmacológicas são insuficientes, desempenhando os fármacos um papel muito importante”, salienta Andreia Mamede, diretora do Serviço de Cardiologia do Hospital das Forças Armadas – Pólo de Lisboa. Nesse sentido, a especialista faz uma reflexão sobre o impacto da dislipidemia no risco cardiovascular global, a ocorrência de eventos cardiovasculares e a importância da efetiva comunicação médico-doente na adoção de medidas preventivas e também na adesão à terapêutica.

Por favor faça login ou registe-se para aceder a este conteúdo