A Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) recebeu 133 pedidos para realização de ensaios clínicos nos nove primeiros meses de 2022, tendo autorizado 102, segundo dados avançados ontem, 15 de janeiro.

Perto de 1.7 milhões de unidades de medicamentos viram a sua exportação impedida nos primeiros 10 meses deste ano, de modo a prevenir falhas nas farmácias portuguesas, esclareceu recentemente Rui Santos Ivo, presidente da Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed).

A Novartis viu dois dos seus medicamentos para a Esclerose Múltipla (EM) a receberem financiamento do Infarmed, permitindo assim que mais doentes tenham acesso a estas terapêuticas com evidência de maior controlo da doença, em diferentes fases da mesma.

O consumo de antidepressivos em Portugal tem vindo a aumentar desde 2019, de acordo com dados do Infarmed, que mostram que só em 2021 se venderam, em média, mais de 28 mil embalagens por dia.

A Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) deixou um alerta para a existência de dois websites ilegais de venda de medicamentos dirigidos ao público português, destacando os riscos para a saúde por não ser possível assegurar a sua segurança, qualidade e autenticidade.

A Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) considera, por agora, não ser necessário o reforço da vacinação contra a COVID-19 com uma eventual terceira dose, no dia em que Espanha anunciou que vai avançar com a medida.

O Infarmed tornou público que o medicamento Kaftrio e uma nova indicação terapêutica do fármaco Orkambi foram aprovados para utilização nos hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) no tratamento da fibrose quística.

A Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) informou que um fármaco indicado para a artrite reumatoide vai sofrer dificuldades de abastecimento no segundo semestre do ano, devido ao aumento de utilização da respetiva substância ativa: tocilizumab 162 mg/0.9 ml, solução injetável em caneta ou seringa pré-cheia, para administração subcutânea (Roactemra).

Reações adversas após a toma da vacina da Janssen, envolvendo episódios de desmaios de alguns utentes no Centro Municipal de Vacinação de Mafra para a COVID-19, levaram à abertura de uma investigação pelo Infarmed, que anunciou, paralelamente, a suspensão temporária do respetivo lote “até as devidas averiguações estarem concluídas”.

A Autoridade Nacional do Medicamento (INFARMED) informou que o novo regulamento de dispositivos médicos da União Europeia, que visa tornar os medicamentos e os dispositivos médicos mais disponíveis, acessíveis e baratos, já entrou em vigor.

A Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC) lançou o apelo à Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (INFARMED) para que o acesso ao tratamento dos doentes com angioedema hereditário seja facilitado.

A MSD anunciou a autorização do Programa de Acesso Precoce (PAP) concedida pelo INFARMED para Lynparza (olaparib), da MSD e da AstraZeneca, como monoterapia de doentes adultos com cancro da próstata metastático resistente à castração (CPmRC) e mutações BRCA1/2, que progrediram após terapia prévia com um novo agente hormonal.

As tabelas de classificação da duração dos tratamentos definidas foram revistas e os medicamentos com classificação farmacoterapêutica “outros anticoagulantes" onde se inserem os anticoagulantes orais diretos (CFT 4.3.1.4), passam a estar incluídos nos “tratamentos de longa duração”.

A Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed) emitiu uma circular com alertas aos profissionais de saúde e aos cidadãos sobre a vacina da AstraZeneca contra a Covid-19, mas reiterou que os seus benefícios superam os riscos.

O medicamento Dupixent (dupilumab), desenvolvido pela Sanofi Genzyme e pela Regeneron, na apresentação de solução injetável em caneta pré-cheia, recebeu a aprovação de comercialização por parte do Infarmed. Em Portugal desde outubro de 2019, o medicamento é utilizado para o tratamento de dermatite atópica moderada a grave em doentes adultos que são candidatos a terapêutica sistémica com resposta inadequada ou não elegíveis para imunossupressores sistémicos.

O presidente da Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed) anunciou que Portugal deve receber no segundo trimestre do ano as primeiras vacinas da Johnson & Johnson, fármaco cujo pedido de aprovação foi submetido ao regulador europeu.

O Infarmed alertou as autoridades hospitalares para a necessidade da “utilização criteriosa” das reservas de sangue, lembrando que a pandemia está a ter efeitos na atividade de colheita de plasma humano a nível global.
Pág. 1 de 12
Alexandre Borges

Uma rubrica da autoria de Alexandre Borges

Escritor, cronista, argumentista integrou as equipas responsáveis por Zapping, Equador, 5 para a Meia-noite ou A Rede.
Colaborou com o Rádio Clube Português, o Observador, O Inimigo Público e a revista Atlântico.
Foi editor de cultura de A Capital e crítico de cinema do jornal i.
É Creative Director da LPM.