×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 34880
terça-feira, 05 novembro 2019 16:21

Manuel Carrageta: “A IC é uma perigosa epidemia”

Consciente de que a insuficiência cardíaca (IC) é uma “perigosa epidemia”, a Fundação Portuguesa de Cardiologia (FPC) procurou sensibilizar a população portuguesa, ao longo do mês de maio, para o impacto desta doença a nível nacional. O mote da campanha Maio, Mês do Coração – “Insuficiência cardíaca: Liberte o seu coração” – pretende alertar para este problema crescente que afeta cerca de 400 mil portugueses e mais de 15 milhões de pessoas em toda a Europa.

Published in Atualidade
terça-feira, 05 novembro 2019 15:27

CURSO SAVIC CONSULTÓRIO: Formação em IC para MGF

O coordenador nacional do Curso Avançado de Suporte de Vida em Insuficiência Cardíaca, Rui Baptista, falou com o Jornal Médico e explicou em detalhe o SAVIC Consultório, o curso que consiste numa formação orientada sobre a Insuficiência Cardíaca (IC).

Published in Entrevistas
segunda-feira, 04 novembro 2019 18:04

Mudar o atual panorama da IC em Portugal

Published in Terapêutica

“A insuficiência cardíaca (IC) é uma das epidemias do século XXI e deve ser considerada uma prioridade nacional!”.

Published in Atualidade

A Fundação Portuguesa de Cardiologia vai promover um simpósio científico subordinado ao tema “Insuficiência cardíaca, dislipidemias e aterosclerose”.

Published in Atualidade

A Fundação Portuguesa de Cardiologia vai realizar, no dia 17 de maio, às 10h30, na Universidade Sénior de Almada (USALMA), uma sessão de esclarecimento sobre insuficiência cardíaca.

Published in Atualidade
Pág. 2 de 4
A mudança necessária
Editorial | Jornal Médico
A mudança necessária

Os últimos meses foram vividos por todos nós num contexto absolutamente anormal e inusitado.

Atravessamos tempos difíceis, onde a nossa resistência é colocada à prova em cada dia, realidade que é ainda mais vincada no caso dos médicos e restantes profissionais de saúde. Neste âmbito, os médicos de família merecem certamente uma palavra de especial apreço e reconhecimento, dado o papel absolutamente preponderante que têm vindo a desempenhar no combate à pandemia Covid-19: a esmagadora maioria dos doentes e casos suspeitos está connosco e é seguida por nós.