Projecto científico sobre o Cancro vence Prémio Inovação Bluepharma/Universidade de Coimbra
DATA
05/05/2014 19:13:02
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Projecto científico sobre o Cancro vence Prémio Inovação Bluepharma/Universidade de Coimbra

Prémio Inovação Bluepharma 1

Uma equipa multidisciplinar da Universidade Nova de Lisboa é a vencedora do Prémio Inovação Bluepharma/Universidade de Coimbra 2013, com o projecto científico “Anticorpos trifuncionais e tecnologias baseadas em células dendríticas: uma abordagem combinada à imunoterapia para o cancro”.

O projecto da equipa liderada pela investigadora Paula Videira foi o escolhido entre 29 projectos candidatos de vários institutos nacionais e estrangeiros devido ao seu elevado potencial de desenvolvimento e aplicação no tratamento do cancro.

A equipa de Lisboa desenvolveu um anticorpo capaz de reconhecer o antígeno glicosídico, presente em mais de 80% dos carcinomas humanos, incluindo cancro da mama, cancro gástrico, cancro do pâncreas e cancro da bexiga e ausente em células normais. Este antigénio tumoral surge na fase inicial do tumor tornando-o um excelente candidato para atingir as fases iniciais de malignidade e assim para controlar a progressão da doença. O desenvolvimento de anticorpos que simultaneamente atacam as células cancerígenas e são reconhecidos e activam diferentes células do sistema imunitário, eliminando o tumor, traduzem uma nova estratégia de tratamento do cancro, que esteve na base da escolha desta candidatura.

Prémio Inovação Bluepharma 2

O Prémio Inovação Bluepharma/Universidade de Coimbra distingue de dois em dois anos um projecto de investigação inovador na área das Ciências da Saúde que tenha sido realizado total ou parcialmente em instituições portuguesas por investigadores nacionais ou estrangeiros.

O projecto liderado por Paula Videira vai receber um prémio monetário no valor de 20 mil euros para apoiar o desenvolvimento de uma Prova de Conceito que permita demonstrar a viabilidade da sua aplicação. Este apoio poderá traduzir-se num apoio suplementar de 30 mil euros, uma vez provada a sua viabilidade de mercado. De acordo com o presidente do júri, Fernando Seabra Santos, Professor Catedrático e ex-Reitor da Universidade de Coimbra, “para a escolha do vencedor foram considerados, entre outros critérios de avaliação, o mérito, a originalidade, a inovação e o elevado interesse para a Sociedade. A qualidade da equipa envolvida, a cooperação em rede e o mérito científico da proposta foram os principais factores diferenciadores.

Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?
Editorial | Denise Cunha Velho
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?

Sou do tempo em que, na Zona Centro, não se conhecia a grelha de avaliação curricular, do exame final da especialidade. Cada Interno fazia o melhor que sabia e podia, com os conselhos dos seus orientadores e de internos de anos anteriores. Tive a sorte de ter uma orientadora muito dinâmica e que me deu espaço para desenvolver projectos e actividades que me mantiveram motivada, mas o verdadeiro foco sempre foi o de aprender a comunicar o melhor possível com as pessoas que nos procuram e a abordar correctamente os seus problemas. Se me perguntarem se gostaria de ter sabido melhor o que se esperava que fizesse durante os meus três anos de especialidade, responderei afirmativamente, contudo acho que temos vindo a caminhar para o outro extremo.