Região Centro com 69 novos médicos de família
DATA
08/01/2015 12:00:08
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Região Centro com 69 novos médicos de família

medicos1

A Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC) anunciou ontem que as unidades de cuidados primários da região vão contar com mais 69 médicos de Medicina Geral e Familiar, em regime de internato.

"São 69 os médicos que iniciaram a especialidade de Medicina Geral e Familiar nas unidades de cuidados de saúde primários da região de saúde do Centro", afirmou a ARSC, em comunicado, sublinhando que este acréscimo leva a "um aumento de 6%" do número de internos nesta especialidade face a 2014.

Segundo a Administração Regional de Saúde, "estes profissionais vêm dar continuidade ao trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pela ARSC na área de formação", bem como "no reforço das equipas" e "na melhoria contínua da resposta assistencial na região Centro".

O internato médico, explicou a ARSC no comunicado, realiza-se "após a licenciatura em medicina e corresponde a um processo de formação médica especializada, tendo como objectivo habilitar o médico ao exercício tecnicamente diferenciado na respectiva área profissional de especialização".

Os médicos internos podem "contribuir para colmatar a falta de médicos de família na Região Centro", salientou fonte do gabinete de comunicação da ARSC, que não conseguiu referir quantos utentes da região é que vão poder beneficiar com a entrada dos médicos em regime de internato.

A mudança necessária
Editorial | Jornal Médico
A mudança necessária

Os últimos meses foram vividos por todos nós num contexto absolutamente anormal e inusitado.

Atravessamos tempos difíceis, onde a nossa resistência é colocada à prova em cada dia, realidade que é ainda mais vincada no caso dos médicos e restantes profissionais de saúde. Neste âmbito, os médicos de família merecem certamente uma palavra de especial apreço e reconhecimento, dado o papel absolutamente preponderante que têm vindo a desempenhar no combate à pandemia Covid-19: a esmagadora maioria dos doentes e casos suspeitos está connosco e é seguida por nós.

Mais lidas