Câmara de Resende e ARS Norte celebram protocolo para reabrir SAP à noite
DATA
01/04/2015 13:00:01
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Câmara de Resende e ARS Norte celebram protocolo para reabrir SAP à noite

Consulta aberta

A Câmara de Resende e a Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte assinam na terça-feira o protocolo que permitirá reabrir a urgência nocturna do centro de saúde daquele concelho, que está encerrada desde o ano passado.

O presidente da Câmara de Resende, Garcez Trindade, explicou à agência Lusa que o protocolo prevê que seja a autarquia a suportar os custos com o pessoal médico entre a meia-noite e as 8 horas, durante os dias úteis.

“É a única maneira de conseguirmos reabrir o SAP (Serviço de Atendimento Permanente) durante o período nocturno”, frisou o autarca socialista, lamentando que, no ano passado, o Governo tenha decidido encerrar “um serviço que já funcionava há mais de 30 anos sem qualquer interrupção durante 24 horas”.

Garcez Trindade estima que, para manter o SAP aberto neste período, a Câmara tenha de gastar anualmente cerca de 45 mil euros.

“Esta verba terá de ser deduzida de uma outra rubrica. Temos que definir prioridades e considerámos que a saúde é a prioridade das prioridades”, frisou.

Este acordo foi conseguido após várias diligências do presidente da Câmara, que desde que teve conhecimento da decisão do Governo prometeu lutar para que os 12 mil habitantes do concelho continuassem a ter acesso aos serviços médicos e de enfermagem a que têm direito.

O município assegurará as despesas com o serviço médico, ficando a ARS do Norte responsável pelo pagamento dos serviços de enfermagem e administrativo e das despesas de manutenção e de funcionamento.

Um ano depois…
Editorial | Susete Simões
Um ano depois…

Corria o ano de 2020. A Primavera estava a desabrochar e os dias mais quentes e longos convidavam a passeios nos jardins e nos parques, a convívios e desportos ao ar livre. Mas quando ela, de facto, chegou, a vida estava em suspenso e tudo o que era básico e que tínhamos como garantido, tinha fugido. Vimos a Primavera através de vidros, os amigos e familiares pelos ecrãs. As ruas desertas, as mensagens nas varandas, as escolas e parques infantis silenciosos. Faz agora um ano.

Mais lidas