Serviços dos hospitais da Feira e S. J. Madeira com nota máxima em Excelência Clínica
DATA
25/06/2015 15:00:48
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Serviços dos hospitais da Feira e S. J. Madeira com nota máxima em Excelência Clínica

ERS_2
A Entidade Reguladora da Saúde (ERS) atribuiu hoje a classificação máxima de Excelência Clínica a sete serviços dos hospitais da Feira e de S. João da Madeira, ente os quais Cardiologia, Neurologia, Obstetrícia e Ortopedia.

Ambas as unidades integram o Centro Hospitalar do Entre Douro e Vouga (CHEDV) e viram essas valências reconhecidas com o nível máximo de desempenho por cumprirem os critérios de qualidade clínica exigidos pelo Sistema Nacional de Avaliação em Saúde (SINAS).

No Hospital de S. João da Madeira, o mérito coube ao serviço de Cirurgia de Ambulatório. No caso do Hospital de S. Sebastião, na Feira, as valências distinguidas com a classificação máxima foram as de Cardiologia, Cirurgia Geral, Ginecologia, Neurologia, Obstetrícia e Ortopedia.

"Estes resultados comprovam o empenho de todos os profissionais na implementação das melhores práticas clínicas e reforçam a qualidade deste centro hospitalar enquanto prestador de cuidados de saúde de referência", declarou à Lusa o presidente do conselho de administração do CHEDV, Miguel Paiva.

"Pretendemos dar continuidade a este trabalho de excelência e estamos empenhados em fazer mais e melhor", acrescentou esse responsável.

O SINAS é um sistema modular de avaliação e classificação de diferentes níveis de qualidade no desempenho dos prestadores de cuidados de saúde e, no que se refere a prestadores com capacidade de internamento, pode analisar até cinco dimensões de qualidade: excelência clínica, segurança do doente, adequação e conforto das instalações, focalização no utente e satisfação do utente.

Segundo a ERS, a publicação hoje difundida avaliou apenas a excelência clínica, dado tratar-se da única dimensão do SINAS que é objeto de atualização semestral. "Os resultados das restantes dimensões mantêm-se inalterados face à última publicação (em dezembro de 2014), estando prevista a sua atualização para dezembro de 2015", acrescenta.

Os seis referidos serviços do Hospital S. Sebastião obtiveram assim o nível III de Excelência Clínica, que é a classificação mais elevada do sistema. Já a valência de Cirurgia de Ambulatório do Hospital de S. João da Madeira registou "um valor observado (taxa) de 0,990, superando o valor de referência de todos os prestadores, que é de 0,870".

Os resultados do SINAS são calculados "com base em informação maioritariamente submetida pelos próprios prestadores de cuidados de saúde intervenientes", voluntariamente inscritos no sistema. A fidelidade dos dados entregues é da exclusiva responsabilidade das instituições que os forneceram, mas, como realça a ERS, "são realizadas auditorias sistemáticas a estabelecimentos selecionados aleatoriamente".

O CHEDV integra também o Hospital de Oliveira de Azeméis, mas essa unidade não foi contemplada nesta avaliação.

Hospitais com critérios de qualidade exigidos pelo Regulador aumentaram entre 2012 e 2015

A grande maioria dos hospitais avaliados pela Entidade Reguladora da Saúde (ERS) cumpre os critérios de qualidade exigidos, tendo havido um aumento de 23% das unidades que atingiram o primeiro nível de avaliação entre 2012 e 2015.

Segundo resultados hoje divulgados pela ERS, o Sistema Nacional de Avaliação em Saúde (SINAS) abrange atualmente 163 estabelecimentos hospitalares públicos, privados e do setor social, mas só 130 são avaliados na dimensão da excelência clínica.

Dos 130 estabelecimentos avaliados, 82% demonstraram cumprir os critérios de qualidade exigidos, tendo obtido a “estrela” do primeiro nível de avaliação.

Seis unidades não obtiveram a “estrela” deste primeiro nível de avaliação por não ter sido possível aferir todos os requisitos de qualidade exigidos pelo regulador.

Outros 15 prestadores optaram por não se submeter a avaliação, não tendo enviado quaisquer dados relativos ao período em análise.

Segundo a ERS, os prestadores que atingiram o primeiro nível de avaliação mostraram um aumento de 23% de 2012 para 2015, subida que se verificou tanto no setor público, como no privado e social.

Contudo, o setor público foi o que registou uma subida mais acentuada dos hospitais que atingiram avaliação em excelência clínica, passando de 29% em 2012 para 40% em 2015.

A ERS faz ainda uma avaliação num segundo nível às unidades hospitalares, estabelecendo um ‘ranking’ por três níveis de qualidade relativamente a várias áreas e, como cirurgia de ambulatório, ortopedia, ginecologia, enfarte agudo do miocárdio ou obstetrícia.

Comparando com a última avaliação, feita em dezembro do ano passado, houve um aumento do número de hospitais com nível de qualidade IIII (superior) nas áreas do enfarte agudo do miocárdio, da cirurgia do cólon e de obstetrícia.

O regulador sublinha que têm melhorado nas unidades de saúde os indicadores relativos à infeção hospitalar.

Os atuais resultados do SINAS Hospitais, que é publicado semestralmente, reportam-se a episódios com alta entre 1 de Julho de 2013 e 30 de Junho de 2014.

Doença Venosa

Isolamento social com apoio de proximidade e em segurança
Editorial | Jornal Médico
Isolamento social com apoio de proximidade e em segurança

O futuro tem hoje 5 dias! Inacreditável! Quem é que tem agenda para mais de 5 dias? A pandemia COVID-19 alterou profundamente a vida quotidiana, a prestação de cuidados de saúde e a organização dos serviços de saúde está totalmente alterada. O isolamento social é a orientação primordial de confrontação da pandemia. Mas é necessário promover o apoio de proximidade essencial e aprender a fazê-lo em segurança.

Mais lidas