Centro Hospitalar da Cova da Beira reabre bloco operatório após requalificação
DATA
01/09/2015 13:00:29
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Centro Hospitalar da Cova da Beira reabre bloco operatório após requalificação

centrohospitalardacovadabeira
O bloco operatório do Centro Hospitalar da Cova da Beira (CHCB), na Covilhã, reabre no dia 7 de setembro após uma paragem de seis semanas para requalificação do espaço, disse ontem à agência Lusa fonte hospitalar.

"Vamos ter melhores condições de segurança e conforto para os doentes e para os profissionais, protegendo mais e melhor os doentes contra o risco de infeções adquiridas no bloco", disse ontem à Lusa o adjunto da direção clínica para a área cirúrgica, Carlos Gomes.

Um dos objetivos das obras de requalificação no bloco operatório do CHCB, que desde a sua construção nunca tinha sido intervencionado, passou pela melhoria das condições para os doentes e profissionais de saúde e, sobretudo, para combater o risco de infeções.

"Somos um dos hospitais do país que tem menor taxa de infeção em bloco operatório e acreditamos que agora vamos reduzi-la ainda mais para nos tornarmos dos melhores hospitais da Península Ibérica, uma vez que são para nós o termo de comparação do benchmarking clínico", disse.

Segundo este responsável do CHCB, durante as seis semanas em que o bloco operatório esteve encerrado "todas as cirurgias urgentes foram realizadas numa sala destinada a esse fim" e "não houve cirurgias adiadas".

"Fizemos um total de 478 cirurgias nestas seis semanas. Este número é muito bom se considerarmos que tínhamos duas salas em funcionamento, uma para cirurgias programadas e outra para as urgentes", afirmou.

As obras no bloco operatório custaram cerca de 130 mil euros e ficaram concluídas hoje, sendo que durante o resto da semana vai ser feita uma limpeza geral no bloco, cuja reabertura decorre no dia 7 de setembro, com as cinco salas a entrarem em pleno funcionamento.

Lusa/Jornal Médico

You've got mail! - quando um aumento da acessibilidade não significa melhoria da acessibilidade
Editorial | António Luz Pereira, Direção da APMGF
You've got mail! - quando um aumento da acessibilidade não significa melhoria da acessibilidade

No ano de 2021, foram realizadas 36 milhões de consultas médicas nos cuidados de saúde primários, mais 10,7% do que em 2020 e mais 14,2% do que em 2019. Ou seja, aproximadamente, a cada segundo foi realizada uma consulta médica.

Mais lidas