ARS teve acesso a relatório que confirma que David Duarte não devia ser transferido

ARS LVT
O presidente demissionário da Administração Regional de Saúde de Lisboa teve acesso a um relatório do hospital de São José que confirma que o doente que morreu com um aneurisma roto não devia ser transferido.

Na comissão parlamentar de saúde que ontem (19 de janeiro de 2016) analisou o caso de David Duarte, o ainda presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARS-LVT) disse ter tido acesso a um relatório interno do hospital de São José no qual um diretor de serviço afirma que o jovem de 29 anos não tinha condições para ser transferido para outra unidade.

Luís Cunha Ribeiro acrescentou que o documento indica também que, mesmo que tivesse condições para uma transferência, o hospital não tinha conhecimento de outra unidade que pudesse tratar o caso de David Duarte.

"Face ao que o doente tinha, não havia condições para o transportar, nem outro hospital teria condições para o tratar se tivesse condições para ser transferido", afirmou Luís Cunha Ribeiro aos jornalistas no final da comissão parlamentar.

O responsável, que apresentou a demissão do cargo na sequência deste caso mas ainda não foi substituído, sublinhou que não deve ser posta em causa a confiança no São José apenas por causa de uma única situação.

"Não é justo que se ponha em causa a confiança num hospital por uma situação destas", declarou.

Lusa/Jornal Médico

As certezas enganadoras sobre os Outros
Editorial | Mário Santos, membro da Direção Nacional da APMGF
As certezas enganadoras sobre os Outros

No processo de reflexão da minha prática clínica, levo em conta para além do meu índice de desempenho geral (IDG) e da satisfação dos meus pacientes, a opinião dos Outros. Não deixo, por isso, de ler as entrevistas cujos destaques despertam em mim o interesse sobre o que pensam e o que esperam das minhas funções, como médico de família. Selecionei alguns títulos divulgados pelo Jornal Médico, que mereceram a minha atenção no último ano: