×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 35433
Hospital de Matosinhos faz queixa no Ministério Público por burla com taxas moderadoras
DATA
25/01/2016 15:39:55
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Hospital de Matosinhos faz queixa no Ministério Público por burla com taxas moderadoras

nacional_taxas_uls_matosinhos_01
A Unidade Local de Saúde de Matosinhos (ULSM) avançou recentemente à Lusa ter apresentado queixa no Ministério Público (MP) por uma “suspeita de possível SMS [mensagem] fraudulento” onde é pedido o pagamento de taxas moderadoras aos utentes.

“Apresentou queixa no Ministério Público e preveniu os utentes para eventuais situações idênticas”, disse.

Contactada pela Lusa, a Procuradoria-Geral da República (PGR) confirmou a receção, por parte o MP, de uma denúncia relacionada com estes factos.

“A mesma deu origem a um inquérito, que se encontra em investigação na secção de Matosinhos do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) do Porto”, revelou.

Para alertar os utentes para esta situação, o hospital publicou mensagens de aviso na página oficial e nos LCD do sistema de gestão de atendimento.

“Procedeu ainda ao envio de SMS onde informa que a ULSM não cobra taxas moderadoras em dívida por essa via”, referiu.

A ULSM frisou que a “intenção” é avisar os utentes, sem alarmar, e prevenir situações futuras que possam vir a ocorrer.

A edição do JN da passada sexta-feira revelou que utentes do Hospital de Matosinhos e dos centros de saúde do concelho andam a receber mensagens, via telemóvel, para pagar taxas moderadoras em dívida.

“Foi no início do mês que uma utente recebeu a primeira mensagem a cobrar taxas moderadoras em nome da ULS de Matosinhos. Pedia-se uma pequena quantia e ameaçava-se com coimas. O pagamento devia ser feito via multibanco – para tal, era fornecida uma entidade e uma referência bancária. A mulher pagou”, lê-se.

Lusa/Jornal Médico

O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Editorial | Jornal Médico
O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. Encontrar uma nova visão e adotar uma nova estratégia útil na nossa prática clínica quotidiana. Valorizar as unidades de saúde por estarem a dar as respostas adequadas e seguras é o mínimo que se exige, mas é urgente e inevitável um plano de investimento nos centros de saúde do Serviço Nacional de Saúde.

Mais lidas