Regulador da Saúde avalia 161 hospitais, 107 tiveram excelência clínica
DATA
23/02/2016 11:15:41
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Regulador da Saúde avalia 161 hospitais, 107 tiveram excelência clínica

gestoreshospitalares
A maioria das 161 unidades de saúde avaliadas pela Entidade Reguladora da Saúde (ERS) no segundo semestre de 2015 obteve classificação de excelência clínica, cumprindo todos os critérios de qualidade exigidos.

Segundo dados ontem divulgados pelo Sistema Nacional de Avaliação em Saúde (SINAS), elaborado pela ERS e publicado semestralmente, foram avaliados 161 prestadores de cuidados de saúde (hospitais ou clínicas), dos quais 127 (79%) foram classificados e 107 (66%) conseguiram a atribuição da estrela que corresponde ao primeiro nível de avaliação.

Destes 107 hospitais com estrela, 64 são do setor público, 28 do setor privado e 15 do social.

A dimensão Excelência Clínica reflete os resultados relativos a procedimentos e/ou diagnósticos no contexto das áreas de Acidente Vascular Cerebral, Cirurgia Cardíaca, Cirurgia de Ambulatório, Cirurgia do Cólon, Cirurgia Vascular, Enfarte Agudo do Miocárdio, Ginecologia, Obstetrícia, Ortopedia, Pediatria e Unidades de Cuidados Intensivos.

A ERS sublinha que nesta dimensão Excelência Clínica se verificou “a melhoria do cumprimento das práticas e/ou procedimentos associados a diferentes áreas cirúrgicas”.

Para obter a estrela, os estabelecimentos de saúde têm de cumprir todos os parâmetros de qualidade exigidos.

No que respeita à segurança do doente, dos 161 prestadores avaliados 130 obtiveram estrela. Quanto à adequação e conforto das instalações, foram 139 as unidades que conseguiram obter esta classificação máxima em 2015.

O regulador refere que também cresceu o número de unidades que obtiveram a estrela nas dimensões da segurança do doente e de adequação e conforto das instalações.

Os prestadores que cumprem todos os requisitos de qualidade acedem a um segundo nível de avaliação, no qual é calculado um rating individual com níveis de classificação de qualidade que vão do I (mais baixo) ao III (mais alto).

Neste segundo nível de avaliação, o regulador destaca o aumento de unidades que obtiveram nível de qualidade III nas áreas de ginecologia (36%) e obstetrícia (33%), relativamente à avaliação feita no primeiro semestre de 2015.

Esta avaliação teve pela primeira vez em conta as áreas da Dor Aguda e Tromboembolismo Venoso no Internamento.

Relativamente à Dor Aguda, oito prestadores alcançaram o nível II e nenhum obteve a classificação mínima, nem a máxima.

Na área do Tromboembolismo Venoso no Internamento, dois prestadores obtiveram nível de qualidade III, sete unidades alcançaram o nível intermédio e uma outra o nível mais baixo.

Por favor faça login ou registe-se para aceder a este conteúdo

Sejam Felizes
Editorial | António Luz Pereira, vice-presidente da APMGF
Sejam Felizes

O início de cada ano é também o início do percurso de milhares de novos médicos. A todos, mas especialmente aqueles que como nós escolheram como futuro ser Médico de Família, queremos receber-vos com um desejo e um desafio. Que sejam felizes e façam com que aqueles que se cruzam convosco sejam felizes. Desejamos profundamente que este internato de formação específica em MGF seja um caminho de felicidade. Que se sintam totalmente realizados por terem escolhido a melhor especialidade do mundo. Que sejam felizes no internato, para que possam ser ainda mais felizes fora dele.

Mais lidas