Paulo Ribeiro de Melo eleito presidente do Conselho Geral da Ordem dos Médicos Dentistas
DATA
24/02/2016 12:37:33
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Paulo Ribeiro de Melo eleito presidente do Conselho Geral da Ordem dos Médicos Dentistas

paulo-ribeiro-melo

Paulo Ribeiro de Melo vai liderar o Conselho Geral da Ordem dos Médicos Dentistas (OMD), um novo órgão social, criado na sequência da entrada em vigor dos novos estatutos da OMD, que tem 50 membros eleitos em representação dos 10 mil médicos dentistas de todas as regiões do país.

Doutorado em Medicina Dentária pela Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto, onde é professor associado desde 2008, Paulo Ribeiro de Melo pertence aos corpos sociais da OMD desde 2001, e ocupava até aqui o cargo de secretário-geral da OMD, entretanto extinto.

Paulo Ribeiro de Melo é o representante da OMD na Direção-Geral de Saúde para o Programa Nacional de Prevenção da Saúde Oral e é vice-presidente do Comité de Saúde Pública da Federação Dentária Internacional.

Paulo Ribeiro de Melo salienta que “os desafios e as exigências na OMD são permanentes. O patamar a que a OMD foi elevada nos últimos anos representa uma responsabilidade acrescida para este mandato e para este novo órgão”.

O primeiro presidente do Conselho Geral da OMD traça como prioridades para o novo mandato “a necessidade de garantir um maior acesso da população a cuidados de saúde oral, a regulação da profissão, a valorização do médico dentista e a organização da OMD”.

Para além de Paulo Ribeiro de Melo como presidente, o conselho geral da OMD elegeu Paulo Durão Maurício para vice-presidente e Fernando Ferreira e Ana Augusta Costa para os cargos de secretários da mesa do Conselho Geral.

COVID e não-COVID: Investimentos para resolver novos e velhos problemas
Editorial | Rui Nogueira, Médico de Família e presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar
COVID e não-COVID: Investimentos para resolver novos e velhos problemas

Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. O estado de emergência terminou e o estado de calamidade passou, mas o problema de saúde mantem-se ativo. É urgente encontrar uma visão inovadora e adotar uma nova estratégia. As unidades de saúde precisam de encontrar respostas adequadas e seguras.

Mais lidas