Nomeado novo conselho de administração do Centro Hospitalar Lisboa Norte
DATA
04/04/2016 13:50:18
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Nomeado novo conselho de administração do Centro Hospitalar Lisboa Norte

Hospital Santa Maria

Foi aprovada, a 31 de março de 2016, a Resolução do Conselho de Ministros que nomeou o novo conselho de administração do Centro Hospitalar Lisboa Norte, E.P.E., (CHLN).

Presidido pelo Dr. Carlos José das Neves Martins, que foi reconduzido na sua função gestionária, o novo órgão de administração do CHLN é ainda integrado pelos vogais executivos, Dr. Carlos Magno Fontes, Dr. Júlio Candeias Pedro, Dr.ª Maria Margarida Lucas (Diretora Clínica) e Enf.ª Catarina dos Santos Batuca (Diretora de Enfermagem), tendo sido estes três últimos gestores reconduzidos nas suas funções.

A idoneidade, experiência e competências destes profissionais para o desempenho dos cargos estão plasmadas nas respetivas sinopses curriculares:

Carlos José das Neves Martins – Presidente - Natural de Portimão, Algarve onde nasceu em 1961. Licenciado em Relações Internacionais, Ramo Económico e Políticas pela Universidade do Minho, foi Presidente da sua Associação Académica na década de oitenta. Iniciou a sua vida profissional em 1985, no então Instituto Politécnico de Faro, após o que se seguiram vários cargos a nível regional, nacional e internacional, designadamente autarca no Município de Portimão - 1985 a 2001, Diretor Regional e Presidente do Instituto da Juventude - 1989 e 1991, Representante de Portugal no Comité de Peritos de Juventude da União Europeia e Perito de Politicas Locais no Conselho da Europa de 1990 a 1994, Presidente da Região de Saúde do Algarve e Coordenador do Gabinete de Relações Externas da Universidade do Algarve de 1996 a 1999. Em 1999, foi eleito Deputado à Assembleia da República pelo Círculo do Algarve, suspendendo as funções no período de 2002 a 2005 por posse sucessiva nos XV e XVI Governos Constitucionais, respetivamente, na qualidade de Secretário de Estado da Saúde e Secretário de Estado Adjunto do Ministro do Turismo. Em 2005 regressou ao seu lugar de Assessor do Quadro na Universidade do Algarve, pedindo no mesmo ano uma licença sem vencimento para poder exercer funções no setor empresarial privado e iniciar atividade de prestação de serviços de consultoria internacional. Foi Assessor do Ministro da Saúde para as áreas das Relações Internacionais e Cooperação e em Projetos Estratégicos Interministeriais, de maio de 2012 a 20 de fevereiro de 2013. É autor de vários artigos sobre desenvolvimento sustentável e poder local, economia social e cooperação internacional, turismo e saúde, destinos emergentes e internacionalização empresarial, temas que igualmente tem abordado na qualidade de orador em conferências de âmbito nacional e internacional. Em 1987 foi distinguido com um Louvor Militar por serviços prestados como Oficial Miliciano de Artilharia da Brigada Mista Independente, em 2000 recebeu um Louvor do Magnífico Reitor da Universidade do Algarve, publicado em Diário da República, em 2003 ganhou o Galardão de «Reconhecimento e Mérito pelo Desenvolvimento e Promoção do Algarve», em 2008 recebeu a «Medalha de Mérito Municipal de Portimão - Grau Ouro» e em 2009 foi agraciado publicamente pelo Conselho das Câmaras Portuguesas de Comércio no Brasil «Pela sua relevante atuação económica e contribuição na promoção da amizade e dos negócios internacionais na língua portuguesa».

Carlos Magno Neves Fontes – Vogal Executivo - Licenciado em Organização e Gestão de Empresas pelo Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa (ISCTE), em 1978. Até à data, assumiu as funções de Diretor Financeiro do Hospital Fernando da Fonseca, cargo que assumiu desde junho de 2009. De dezembro de 2006 a maio de 2009 foi Diretor Coordenador das áreas financeira e de auditoria da Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS). Em 2003 a 2006 assumiu funções junto da Portugal Telecom (PT), na qualidade de responsável pela Tesouraria da PT- Multimédia, empresa onde já tinha sido de 2002 a 2003 Diretor Financeiro. De 1999 a 2001 foi igualmente Diretor Financeiro da JAE Construção, S.A. – ICOR. Anteriormente, desde 1994 assumiu as funções de responsável pela Tesouraria da Transgás – Sociedade Portuguesa de Gás Natural, SA. Entre 1993 e 1994 assumiu as funções de Diretor Financeiro da Unifina (SFAC) e na Unilong (ALD). Esteve ao serviço da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), na qualidade de Inspetor, de 1990 a 1993 e entre 1984 e 1990 assumiu as funções de Inspetor Coordenador da Supervisão Bancária e de Seguros da Autoridade Monetária e Cambial de Macau. Foi ainda Auditor Coordenador dos Correios e Telecomunicações de Portugal (CTT), entre 1981 e 1984 e auditor da Arthur Young & Co entre 1978 a 1981.

Júlio Paulo Candeias Pedro – Vogal Executivo - Licenciado em Gestão de Recursos Humanos pela Universidade Lusófona, em 1999, possui uma Especialização em Administração Hospitalar pela Escola Nacional de Saúde Pública, em 2002, a que acresce o PADIS - Programa de Alta Direção de Instituições de Saúde na AESE - Escola de Direção e Negócios, feito em 2008. Em 2007, fez o Mastering Health Care Finance — International Executive Program, realizado pela Univertsité Lausanne/Harvard Medical School/Hospital Geral de Santo António. É Administrador Hospitalar de 4.º grau, vinculado ao quadro único de administradores hospitalares, desde 14 de novembro de 2007.Assumiu as funções de Vogal do Conselho de Administração do CHLN desde 2014 até à data. De 2010 a 2014 foi Vogal do Conselho Diretivo do INEM e de 2006 a 2010 foi Vogal Executivo do Conselho de Administração do Hospital do Litoral Alentejano.

Maria Margarida Barreira Lucas – Vogal Executiva- Diretora Clínica - Licenciada em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa desde 1977 e obteve o título de Especialista em Medicina Interna em 1988, tendo efetuado as provas de aptidão pedagógica e capacidade científica pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, em 1991. Desde 2008 a 2016 exerceu as funções de Diretora do Serviço de Urgência Central do CHLN, com a responsabilidade pela gestão estratégica do serviço e a negociação dos respetivos contratos-programa, destacando-se do seu currículo os cargos de Adjunta da Direção Clínica do CHLN, no período 2008-2013, para a área das Urgências, acompanhando a reestruturação do Centro Hospitalar, de Coordenadora da Equipa de Gestão de Altas do CHLN, desde 2009, de Assistente Graduada Sénior de Medicina Interna, de Coordenadora de Setor e Adjunta do Diretor de Serviço de Medicina Interna do CHLN desde 2000, assumindo ainda as funções de preleção da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa desde 1983, na qualidade de Assistente Convidada.

Catarina das Dores Praça dos Santos Batuca – Vogal Executiva - Enfermeira Diretora. Licenciada em Enfermagem pela Escola Técnica de Enfermeiras, mais tarde designada Escola Superior de Enfermagem Francisco Gentil. Iniciou a sua vida profissional em 1980 no Hospital de Pulido Valente, na prestação direta de Cuidados no Serviço de Recobro Anestésico, onde permaneceu até 1986. Nesta data, frequentou o Curso em Enfermagem de Reabilitação na Escola do Serviço de Saúde Militar. Regressou ao Hospital de Pulido Valente em outubro de 1988, na qualidade de Enfermeira Especialista exercendo funções no Departamento de Reeducação Funcional Respiratória e em 1991, no Serviço de Cirurgia Torácica. Em março de 1993 foi convidada para exercer as funções de Enfermeira Chefe do Serviço de Bloco Operatório, atividade que interrompeu em 1997 para ingressar no C.E.S.E. em Administração dos Serviços de Enfermagem na Escola Superior de Enfermagem Maria Fernanda Resende, após o que, a convite do Conselho de Administração foi exercer funções na qualidade de Enfermeira Supervisora, na Direção de Enfermagem. Em 2005 foi nomeada Enfermeira Diretora do Hospital de Pulido Valente. Com a criação do Centro Hospitalar Lisboa Norte foi convidada a integrar como Vogal o Conselho de Administração exercendo funções de Enfermeira Diretora até à presente data.

Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?
Editorial | Denise Cunha Velho
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?

Sou do tempo em que, na Zona Centro, não se conhecia a grelha de avaliação curricular, do exame final da especialidade. Cada Interno fazia o melhor que sabia e podia, com os conselhos dos seus orientadores e de internos de anos anteriores. Tive a sorte de ter uma orientadora muito dinâmica e que me deu espaço para desenvolver projectos e actividades que me mantiveram motivada, mas o verdadeiro foco sempre foi o de aprender a comunicar o melhor possível com as pessoas que nos procuram e a abordar correctamente os seus problemas. Se me perguntarem se gostaria de ter sabido melhor o que se esperava que fizesse durante os meus três anos de especialidade, responderei afirmativamente, contudo acho que temos vindo a caminhar para o outro extremo.