PSD diz que são precisos mais 55 médicos no Centro Hospitalar de Trás-os-Montes
DATA
03/05/2016 13:34:47
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


PSD diz que são precisos mais 55 médicos no Centro Hospitalar de Trás-os-Montes

Médicos - 02

Os deputados do PSD alertaram ontem para a necessidade de um reforço de 55 médicos para o Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD) e desafiaram os partidos políticos à união em defesa da saúde pública.

Os deputados social-democratas eleitos pelo distrito de Vila Real, Luís Leite Ramos, Pedro Pimentel e Teresa Tender, reuniram ontem com o conselho de administração do CHTMAD para fazerem um “ponto de situação dos problemas e dificuldades” desta unidade de saúde que agrega os hospitais de Vila Real, Chaves, Régua e Lamego.

“O hospital precisa muito rapidamente de 55 novos médicos, os contratos que têm sido lançados continuam desertos e as dificuldades de contratar médicos mantêm-se”, afirmou Luís Leite Ramos após o encontro.

O parlamentar destacou a falta de recursos humanos em especialidades com anestesiologia, urologia, medicina interna ou ortopedia.

Defendeu ainda a necessidade de se reavaliar se “há uma má distribuição de médicos” mas disse que também é importante “encontrar uma outra política de incentivos”.

Perante esta dificuldade em atrair médicos ao interior, o deputado desafiou as “outras forças partidárias e os agentes políticos do concelho e da região” para uma união em defesa do Sistema Nacional de Saúde e do CHTMAD.

“É muito importante termos em Vila Real mais unidades de saúde privadas, mas eu acho que temos que, em primeiro lugar, defender o nosso centro hospitalar e a qualidade dos serviços colocados à disposição das populações na região”, frisou.

Recentemente o presidente da Câmara de Vila Real, Rui Santos, anunciou que a cidade vai contar com duas novas unidades de saúde privadas.

Luís Leite Ramos sublinhou ainda a necessidade de reforçar o centro oncológico do CHTMAD com mais um acelerador linear e referiu que, em 2016, não se vai manter o reforço de verbas para o centro hospitalar o que, na sua opinião, vai “criar dificuldades adicionais”.

Há, segundo o parlamentar, um défice de “12 milhões de euros” entre a proposta do conselho de administração e o valor que o Governo vai atribuir.

O deputado destacou a realização de obras de cerca de um milhão de euros no hospital de Chaves, já previstas na anterior legislatura, e relativamente ao hospital da Régua, fechado após a deteção de ‘legionella’ na rede de água, referiu que foi informado da intenção de se proceder a uma intervenção no edifício.

No entanto, Luís Leite Ramos disse que “continua a achar que valeria a pena equacionar um acordo com a Santa Casa da Misericórdia da Régua”, o que esteve em cima da mesa no anterior Governo PSD/CDS.

A "hiperventilação" dos Cuidados de Saúde Primários
Editorial | Joana Romeira Torres
A "hiperventilação" dos Cuidados de Saúde Primários
A Organização Mundial de Saúde alude que os Cuidados de Saúde Primários (CSP) são cruciais para a obtenção de promoção da saúde a nível global. Neste sentido, a Organização Mundial dos Médicos de Família (WONCA) tem estabelecido estratégias que têm permitido marcar posição dos mesmos na comunidade médica geral.

Mais lidas