Projeto IMOVE+: Grupo de acompanhamento reúne no INSA
DATA
04/07/2016 13:59:40
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Projeto IMOVE+: Grupo de acompanhamento reúne no INSA

Vacinação

O Projeto IMOVE+ pretende avaliar a efetividade da vacina antigripal sazonal e antipneumocócica na população com mais de 65 anos de idade, isto é, perceber a eficácia das vacinas no respetivo escalão etário, quer nos cuidados de saúde primários (CSP), quer nos hospitalares.

O encontro da próxima quinta-feira contará com a participação de responsáveis da Direção-Geral da Saúde, Infarmed – Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, SPMS – Serviços Partilhados do Ministério da Saúde, Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar, Sociedade Portuguesa de Pneumologia e Associação Nacional das Farmácias, do Centro Hospitalar Lisboa Central e do Centro Hospitalar de Setúbal.

A reunião tem como objetivo apresentar os resultados da implementação do IMOVE+ em 2015/2016, bem como no primeiro ano de implementação do estudo da efetividade e impacto da vacina antipneumocócica.

Os resultados deste estudo serão um importante contributo para a tomada de medidas preventivas, como por exemplo – informar acerca dos grupos-alvo a quem devem ser disponibilizadas as vacinas, implementar medidas de prevenção complementares à vacinação em épocas em que as vacinas sejam menos eficazes do que o esperado e contribuir para posterior melhoria na eficácia das vacinas.

Esta iniciativa internacional reúne especialistas de vários países que representam institutos de saúde pública e universidades, sendo o INSA uma das 23 entidades integrantes deste consórcio, a única portuguesa e que, desde 2008, é responsável pela gestão de cerca de 5% desse valor. Com um orçamento global de 7,4 milhões de euros, no âmbito do Horizonte 2020 – Programa-Quadro Comunitário de Investigação & Inovação, o IMOVE+ tem a duração de 36 meses.

Uma oportunidade de ouro
Editorial | Nuno Jacinto
Uma oportunidade de ouro

O ano que agora terminou foi sem dúvida atípico, fora do normal e certamente ficará para sempre na nossa memória individual e coletiva. Mas porque, apesar de tudo, há tradições que se mantêm, é chegada a hora de fazer um balanço de 2020 e perspetivar 2021.

Mais lidas