Campanha de Sensibilização: Cabo Verde quer prevenir doenças transmitidas por mosquitos
DATA
25/07/2016 19:22:35
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS

Campanha de Sensibilização: Cabo Verde quer prevenir doenças transmitidas por mosquitos

Cabo Verde

Cabo Verde lançou, no último sábado, uma campanha nacional de sensibilização e prevenção contra doenças transmitidas por mosquitos que vai decorrer antes, durante e depois da época das chuvas que se aproxima.

A campanha, orçada em 176 mil euros, consiste no reforço das atividades de sensibilização e limpeza dos bairros em todos os municípios do país, que enfrenta uma epidemia do vírus, com quase 7.600 casos suspeitos e 14 casos de microcefalia.

Tendo em conta a epidemia de dengue, (vírus transmitido pelo mesmo mosquito), ocorrida em 2009, que afetou mais de 20 mil pessoas e fez seis mortos e lembrando a atual epidemia da febre-amarela em Angola, um país com frequentes ligações aéreas a Cabo Verde, o que aumenta o risco de transmissão da doença no arquipélago, atualmente vulnerável, o Ministro da Saúde, Arlindo do Rosário, garantiu que todas as medidas de prevenção estão a ser tomadas, nomeadamente nos aeroportos, através da vacinação dos passageiros e da vigilância e controlo de entradas e saídas, processo que fica a cargo das delegacias de saúde.

O Ministro acredita que as doenças transmitidas por mosquitos são uma "ameaça" mundial e, em particular, em Cabo Verde, uma vez que o país é suscetível ao mosquito e proliferação dos transmissores, acrescentando que estas testam a capacidade de resposta do país e requerem "ações concertadas, incisivas e permanentes" que envolvam todas as entidades nacionais.

Por sua vez, o Ministro do Ambiente, Gilberto Silva, referiu que estas epidemias não causam apenas impacto a nível da saúde, mas também a nível ambiental, provocando ainda um "grande problema económico" ao país, e apelou à necessidade de tomar medidas em termos de melhorias do saneamento básico, gestão dos resíduos sólidos, das águas pluviais, das casas e de informação à população, para que esta seja parte da solução, resolvendo-se os problemas numa “visão holística”.

Já o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, referiu que estas epidemias constituem uma "ameaça à qualidade de vida das pessoas e à economia do país", cujo motor é o turismo. Neste sentido, o responsável afirmou que o processo deve envolver vários parceiros, como a comunicação social, as escolas, as organizações e as associações da sociedade civil, as câmaras municipais, as famílias ou as igrejas, salientando que muitos dos fatores que geram as doenças provocadas por mosquitos se relacionam com comportamentos e atitudes diários de pessoas e empresas, e exortando à intervenção da autoridade municipal.

Para a efetividade do processo, o chefe daquele Governo referiu que, no orçamento de Estado, aprovado há 100 dias, ficou estipulada a transferência de 60% da taxa ecológica para os municípios poderem ter recursos para o saneamento, recolha de lixo e drenagem das águas pluviais.

Por favor faça login ou registe-se para aceder a este conteúdo

Sejam Felizes
Editorial | António Luz Pereira, vice-presidente da APMGF
Sejam Felizes

O início de cada ano é também o início do percurso de milhares de novos médicos. A todos, mas especialmente aqueles que como nós escolheram como futuro ser Médico de Família, queremos receber-vos com um desejo e um desafio. Que sejam felizes e façam com que aqueles que se cruzam convosco sejam felizes. Desejamos profundamente que este internato de formação específica em MGF seja um caminho de felicidade. Que se sintam totalmente realizados por terem escolhido a melhor especialidade do mundo. Que sejam felizes no internato, para que possam ser ainda mais felizes fora dele.

Mais lidas